Buscando a Aurora Boreal
da redação, Texto e Fotos: Jus Prado
6 de fevereiro de 2013 - 19:10
 
comentários  
 
 
  • Jus Prado
    Azahar e eu em Oslo -12ºC Foto: Jus Prado
  • Jus Prado
    Tromsø" Foto: Jus Prado
  • Jus Prado
    Lyngen Alps" Foto: Jus Prado
  • Jus Prado
    Procurando" Foto: Jus Prado
  • Jus Prado
    Na jacuzzi aguardando pela Aurora Boreal" Foto: Jus Prado
  • Jus Prado
    Aurora captada por uma câmera comum" Foto: Jus Prado
1 6

Azahar e eu em Oslo -12ºC Foto: Jus Prado

todas as imagens
 

Durante as minhas pesquisas sobre a Noruega deparei com uma informação intrigante a qual me deu um incentivo ainda maior para ir à caça das Luzes do Norte, a informação de que, segundo cientistas, 2013 - será o “Ano da Aurora Boreal”!

Para entender melhor isso é preciso relembrar que a Aurora Boreal ou Austral que vemos aqui na Terra é o resultado do que está acontecendo com o sol. As labaredas solares ejetam grandes quantidades de partículas que à deriva pelo espaço são levadas, através do vento solar, em direção ao nosso planeta e ao colidir com a nossa atmosfera começam a brilhar gerando assim as luzes do norte e do sul. E parece que durante os anos de 2012/ 2013 o ciclo solar atingirá um pico, o que significa uma intensidade significativa no brilho das luzes que vemos em alguns pontos do nosso planeta!

Porém, nada é cem por cento garantido nesta vida e com a Aurora Boreal também não é diferente. Sendo assim, eu e a minha grande amiga Azahar, botamos a mochila nas costas e a esperança no coração e partimos para Oslo, a nossa primeira parada.
De Oslo pegamos um vôo para Tromsø, mais conhecida como a “Capital da Aurora Boreal”, no extremo norte da Noruega e no começo do Círculo Polar Ártico. Lugar maravilhoso e rodeado por montanhas, fjords e, ao contrário do que muitos pensam, lá não é tão frio assim, a temperatura média na cidade gira em torno de +5º/ -7º graus Celsius durante o inverno, creio que isso se deve também pela influência da corrente do Golfo. Porém, saindo da região da cidade, que tem a proteção das montanhas, as temperaturas podem atingir sim extremos como: -15º/ -30º graus Celsius.

Bom, mas não foi dessa vez que pude presenciar um frio tão intenso, a temperatura mínima que pegamos nesta viagem foi de – 12º graus Celsius em Oslo no último dia.
Mas, voltando para o começo, a primeira intenção era acampar, por pelo menos 2 noites, na neve em um lugar mais afastado da cidade para ter mais chances de ver a aurora, tínhamos 5 chances. Na primeira noite já foi possível ver um pouco da atividade solar, e entre nuvens vimos uma pequena luz verde que mudava de forma até que sumiu e não voltou mais.

Buscar pela Aurora é uma questão de paciência e perseverança e, de objetivo principal, ela acabou saindo como um complemento nesta jornada toda, pois uma viagem é composta por vários momentos onde os lugares e as pessoas que se fazem presentes nesta experiência acabam sendo tão especiais quanto os fenômenos da natureza que temos o privilégio de vivenciar.

Depois de explorar a cidade e conhecer muita gente bacana, nos encontramos com o nosso mais novo amigo norueguês, o Hans, que nos levou para a região dos Lyngen Alps, onde acaba a cadeia de montanhas dos Alpes. E foi lá que mudamos de idéia e trocamos o camping pelo luxo, afinal, uma chance destas não aparece todo dia! O Hans nos apresentou uma cabine, tipo uma casa de campo, com direito a sauna e uma jacuzzi do lado de fora para avistar a Aurora Boreal! Parecia que estávamos dentro de uma espécie de Documentário da BBC, sobre a vida na Noruega ou algo assim, surreal demais!

Na terceira noite, da jacuzzi, avistamos novamente as luzes dançantes. Creio que o clima não era um dos melhores para vê-la brilhando com mais intensidade, estava nublado, mas, foi possível vê-la e o Hans até falou que era a primeira vez que ele avistava a aurora através e por entre as nuvens.
Bom, um trabalho com as expectativas e, a aurora que vimos não era igual a aurora das fotos profissionais que vemos na mídia, até porque aquelas super câmeras fotográficas captam mais luzes do que o os nossos olhos podem realmente ver. Mas sem dúvida é um fenômeno mágico e encantador que a vale a pena conferir se houver oportunidade! Eu mesma quero ir de novo e ver mais e mais vezes!

Das 5 chances que tivemos foi possível ver a Aurora por 4 noites! E cada vez muito única. A última noite foi a melhor de todas! Fiquei hipnotizada pela magia das luzes do norte, a cor verde foi predominante e com movimentos suaves em ondas ela aparece e desaparece como que dançando mesmo. Sobre a nossa cabeça, durante cerca de meia hora, a atividade solar estava intensa e quando ela aparecia forte, iluminava todo o branco a nossa volta, incrível!

Missão cumprida! E mais um sonho realizado com sucesso graças a toda sincronia do universo!

Nesta viagem pudemos presenciar também as chamadas “noites polares” onde o sol quase não aparece e o dia tem poucas horas de claridade, muito curioso! Já no verão, tudo se inverte e, os dias são sem fim e uma das grandes atrações é assistir o sol da meia-noite e paisagens cinematográficas através de viagens de trem! Este eu também vou ter que conferir! Outro destino que me chamou a atenção e, também já inclui na lista, é uma ilha chamada Svalbard, situada bem mais ao norte ainda, a qual é uma das maiores reservas de ursos polares do mundo e dona de uma natureza ártica exuberante e selvagem onde muitas partes ainda são pouco exploradas pelo homem.

A Noruega com certeza é um país que ainda quero voltar a visitar muitas vezes e recomendo para todos os viajantes e aventureiros de plantão!



Namastê.
Jus Prado
jusprado.wordpress.com