Tartari, Daflon e Fiorenza abrem nova rota no Fitz Roy
Texto: Beto Joly - Fontes: escalando.org, Desnivel.com, Pataclimb.com
30 de janeiro de 2013 - 21:00
 
comentários    
 
  • Foto: Flavio Daflon
    Serginho em ação! Foto: Flavio Daflon
  • Foto: Flavio Daflon
    O segundo muro. O diedro da Tehuelche eh a esquerda. Parece pequena a parede, sempre parece, mas foram 10 enfiadas neste trecho, a maioria quase cheia. Foto: Flavio Daflon
  • Foto: Flavio Daflon
    Foi o segundo bivaque na parede, terceiro no total. No topo do segundo muro, numa crista muito bonita e estreita. Foto: Flavio Daflon
  • Foto: Flavio Daflon
    Luciano no terceiro dia indo em direção ao cruze com a Afanassief. Foto: Flavio Daflon
  • Foto: Flavio Daflon
    Serginho, um pouco antes de cruzar com a Afanassief. Foto: Flavio Daflon
  • Foto: Flavio Daflon
    Esse é o Grand Hotel e o segundo muro por onde passa a via. Apesar do nome o ponto de bivaque é relativamente pequeno. Foto: Flavio Daflon
  • Foto: Flavio Daflon
    Esta e a anterior foram algumas das enfiadas mais bonitas. Fendas lindas e perfeitas. Da pra ver o Grand Hotel abaixo e o cume da Mermoz. Foto: Flavio Daflon
  • Foto: Flavio Daflon
    Flavio Daflon no cume do Fitz Roy Foto: Flavio Daflon
1 8

Serginho em ação! Foto: Flavio Daflon

todas as imagens
 
 
CROQUI DA VIA - Os pontos azuis marcam os bivaques da subida. Bivaque em Piedra Negras, a 4 horas da base da via. Outro bivaque na silla, antes dos ultimos rapéis. Imagem: Pataclimb.com  
   

De acordo com informações publicadas nos websites escalando.org e desnivel.com, a equipe formada pelos escaladores brasileiros Sergio Tartari e Flavio Daflon, mais o argentino Luciano Fiorenza, foi realizada uma nova conquista de alto nível na Patagônia nesta temporada 2012-2013. A via que conquistaram, tem 1.300 m e se localiza na face norte do Fitz Roy, sendo batizada como "Samba do Leão", a qual escalaram durante três dias em estilo alpino, superando dificuldades máximas de até 6c (francês - 7b no Brasil), num total de 30 enfiadas em livre.

Segundo especificado pelo escalador Rolando Garibotti em seu website Pataclimb.com, "Samba do Leão" começa a esquerda da via "Tehuelche" (1.300 m, 6b+, A0) e alcança os platôs que formam o bivaque conhecido como Gran Hotel depois de nove novas enfiadas. A partir deste ponto, Tartari, Daflon e Fiorenza subiram por terreno virgem entre as vias "Clínica de Aventura" e "The Hoser Chimney" durante onze enfiadas para alcançar a aresta noroeste da montanha.

Depois, a via "Samba do Leão" compartilha duas enfiadas com "The Hoser Chimney" (400 m, 6a, M5, variante de Tehuelche), para se desviar depois para a direita, cruzando a via "Afanassieff" para chegar ao cume através de um trecho também novo e muito vertical da parede superior.

Ainda segundo destacado por Garibotti, das 30 enfiadas escaladas, só duas são compartilhadas com outra rota. A via "Samba de Leão" foi conquistada em estilo alpino durante um único ataque de três dias de duração, e toda a via foi escalada em livre.

"Utilizamos apenas uma chapeleta em toda a via, num lance de aderencia que caiu para o Luciano.", conta Daflon em sua página pessoal do Facebook.

Deu tudo certo, escreveu Flavio Daflon em sua página Facebook:

"Deu tudo certo! Dia 25 de janeiro estávamos no cume, eu, Serginho e Luciano. É incrivel escalar uma montanha tão grande e selvagem como esta. Fomos conquistando uma via nova a direita da Tehuelche. Deve ter uns 1300m de via e precisamos de 4 dias ao todo para subir e descer. Cheguei dia 21 em El Chaltén e dia 25 estava no topo, inacreditável!
Conforme destacado pela revista online Desnivel.com, Sergio Tartari e Flavio Daflon acumulam uma larga experiência em atividades alpinísticas. De fato, Tartari é um dos mitos do montanhismo brasileiro, com ascensões e conquistas em picos e paredes de meio mundo. Para lembrar só de algumas de suas realizações recentes, em janeiro de 2011 participou da abertura da via "Al abordaje!" (900 m, 6c, A2+, na qual também está incluso Fiorenza) no pilar norte do Fitz Roy, e dois meses depois fez parte da expedição brasileira que escalou o Salto Angel (Venezuela) através de uma nova via.

Ainda segundo Desnivel.com, as habilidades de Flavio Daflon também são destaques em escaladas como por exemplo a primeira repetição da via aberta por Stefan Glowacz e Ed Padilha em Minas Gerais na Pedra Riscada, "Place of Happiness" (850 m, 7c/+) em agosto de 2010.

Luciano Fiorenza tem em seu currículo uma grande quantidade de ascensões patagônicas. Na região de Chaltén, realizou conquistas no Fitz Roy ("Crux del sur" e "Al abordaje!"), Aguja Guillaumet, Aguja Val Biois e Aguja de la Silla (Destreza criolla). Além das que realizou em outros lugares do país, como no Cerro Catedral, Cerro López, Cochamó e Cerro Tronador.



Abraços,
Beto Joly
www.imontanha.com