Extremos
 
Everest 2018
13 ANOS DE COBERTURA ONLINE DO EVEREST
 
 

24.05.2018 | 17:22 Nepal | 08:37 Brasil | A maioria dos brasilerios já estão em Katmandu, outros, no Brasil.

 
 
CUMES MORTES
FACE SUL FACE NORTE FACE SUL FACE NORTE
ESTRANGEIROS NEPALESES ESTRANGEIROS NEPALESES ESTRANGEIROS NEPALESES ESTRANGEIROS NEPALESES
229 247 111 128 2 2 0 1
476 239 4 1
715 5
 
 
destaque
 
EVEREST - FACE SUL e NORTE
GRADE 6 GRADE 6 GRADE 6 GRADE 6 GRADE 6
BRASIL BRASIL BRASIL BRASIL BRASIL

1º CA: BC-1C1-6300-1C1-BC
2º CA: BC-2C2-C3-1C2-BC
3º CC: BC-2C2-1C3-1C4-CUME-1C4-1C2-BC
EXPEDIÇÃO ENCERRADA

1º CA: BC-1C1-6300-1C1-BC
2º CA: BC-2C2-C3-1C2-BC
3º CC: BC-2C2-1C3-1C4-CUME-1C4-1C2-BC
EXPEDIÇÃO ENCERRADA

1º CA: BC-1C1-6300-1C1-BC
2º CA: BC-2C2-C3-1C2-BC
3º CC: BC-2C2-1C3-1C4-CUME-1C4-1C2-BC
EXPEDIÇÃO ENCERRADA

1º CA: BC-1C1-6300-1C1-BC
2º CA: BC-2C2-C3-1C2-BC
3º CC: BC-2C2-1C3-C4-CUME-1C4-1C2-BC
EXPEDIÇÃO ENCERRADA

LOBUCHE EAST
1º CA: BC-2C2-C3-1C2-BC
NAMCHE BAZAAR
2º CC: BC-2C2-1C3-1C4-8200-1C2
ABANDONOU O ATAQUE AO CUME
HIMALAYAN GUIDES MOUNTAIN PROFESSIONALS IMG ALPENGLOW ADVENTURE ASCENTS
BRASIL BRASIL BRASIL BRASIL NEPAL

1º CA: BC-1C1-1C2-6800-1C2-BC
2º CA: BC-2C2-C3-1C2-BC
PANGBOCHE
3º CC: BC-2C2-1C3-C4-CUME-1C4-1C2-BC
EXPEDIÇÃO FINALIZADA

1º CA: BC-1C1-6300-1C1-BC
2º CA: BC-1C1-1C2-C3-1C2-BC
3º CC: BC-2C2-1C3-C4-CUME-1C4-1C2-BC
EXPEDIÇÃO ENCERRADA

1º CA: BC-1C1-2C2-1C1-BC
NAMCHE BAZAAR - 2 DIAS
2º CA: BC-1C1-1C2-C3-1C2-BC
NAMCHE BAZAAR - 3 DIAS
3º CC: BC-2C2-1C3-C4-CUME-1C2-BC
EXPEDIÇÃO ENCERRADA

3ºCC:ABC-1C2-1C3-8500-1C2-ABC
EXPEDIÇÃO ENCERRADA

1º CA: BC-1C1-1C2-BC
2º CA: BC-1C2-C3-1C2-BC
LEGENDA DESTAQUE: • CA = CICLO DE ACLIMATAÇÃO • BC = BASE CAMP • FF = FOOTBALL FIELD (5.700m) • C1 = CAMPO 1 (5.900m) • C2 = CAMPO 2 (6.400m) • C3 = CAMPO 3 (7.200m) • C4 = CAMPO 4 (8.000m)
• 1C1 - PASSOU UMA NOITE NO CAMPO 1 • ... O CICLO EM ANDAMENTO • ABC = ACAMPAMENTO BASE AVANÇADO (6.500m - FACE NORTE) • LOBUCHE EAST (6.119m) • CC = CICLO DE CUME
 
podcast
 
EVEREST #1 - DOWNLOAD DO PODCAST 224
EVEREST #2 - DOWNLOAD DO PODCAST 227
EVEREST #3 - DOWNLOAD DO PODCAST 229
EVEREST #4 - DOWNLOAD DO PODCAST 233
 
 
notícias
 

25.05.2018 - 19:20 Nepal | 10:35 Brasil

Temporada encerrada

  Elias Luiz  

A temporada de Primavera da escalada do Everest 2018 está chegando ao fim. Para nós, brasileiros, foi uma temporada magnífica, com um recorde de 7 brasileiros no topo do mundo, de um total de 9 que fizeram a tentativa.

Essa foi uma temporada atípica. É normal ter duas pequenas janelas de Ataque ao Cume. Mas, em 2018, nós tivemos apenas uma longa janela com 11 dias consecutivos de Ataque ao Cume. O que ajudou a diluir a quantidade de alpinistas em cada dia de ataque ao cume, evitando assim de se formarem enormes filas nas cordas fixas.

Recorde de cumes

Até o momento temos o registro de 715 cumes no Everest, um número recorde. O recorde anterior era de 2013, com um total de 667 cumes no Everest. Vale lembrar que esse é apenas um registro provisório de cumes, pois a tarefa de identificar cada pessoa que chegou ao cume se estenderá por todo o ano, e só deve ser divulgado no início de 2019. Esse era o último ano que os alpinistas que tentaram escalar em 2014 e 2015, (temporada foi encerrada devido a avalanche e terremoto), poderiam utilizar o seu permit de escalada. Isso pode ajudar a entender o recorde de cumes.

CUMES X MORTES - Infográfico: Elias Luiz | Extremos
O mais impressionante deste infográfico é que a média de 5 mortes ao ano se matêm desde a década de 90. Em contrapartida que o total de cumes aumentou em 600%. Isso mostra como a cada ano está mais seguro escalar o Everest. O resultado disso é toda infraestrutura armada e principalmente pela melhora nas previsões do tempo, onde hoje em dia as agências escolhem o melhor dia de ataque ao cume semanas antes e com chance quase zero de erro.
CUMES: FACE NORTE X FACE SUL - Infográfico: Elias Luiz | Extremos
Fica claro que até 2007 a Face Norte era a principal, onde as maiores agências estavam. Em 2008, ano das Olimpíadas em Pequim, a China fechou a Face Norte apenas para que uma equipe chinesa chegasse ao cume com a Tocha Olímpica. Isso obrigou as agências a mudarem para a Face Sul (Nepal) e onde permanecem até hoje, devido a instabilidade do governo chinês com as licenças de escalada a cada ano. A ideia do Governo Chinês é liberar apenas 200 permites por ano, mas fica claro também que é provável que este ano deve ter liberado algo próximo a 300, pois tivemos 239 cumes, sem contar as desistências. Também é possível ver que o recorde de 715 cumes, é devido um ótimo desempenho dos alpinistas tanto na Face Sul e Face Norte. Os 446 cumes de 2018 é um pouco maior que a media de anos anteriores e perde de longe para 2013, com 539 cumes.
FACE SUL: CUMES X JANELAS - Infográfico: Elias Luiz | Extremos
A maior diferença para este ano é que tivemos apenas uma longa janela de cume. Enquanto nos outros anos foram duas janelas e as vezes até três janelas de cume. Mas a quantidade de dias de cume se manteve parecido com os anos anteriores.

Rastreamento

Ficou nítido que a Cobertura Online deste ano ganhou muito em emoção e precisão nas informações com a introdução do rastreamento do SPOT em cada etapa da escalada. Com certeza iremos trabalhar para que todos os alpinistas brasileiros, em 2019, estejam utilizando o rastreador via satélite SPOT. Acredito que outro detalhe que inclui este ano e pode ter ajudado muito (preciso da opinião de vocês) foi a introdução durante o Ataque ao Cume quando eu informava o “Horário da Próxima Atualização”. Assim as pessoas não precisavam dar F5 ou Command R a todo o momento e também se programavam para retornar ao site no horário estipulado da atualização.

Lixo

Há informações que muito lixo foi deixado para trás entre os acampamentos 2 e 4. Isso é um erro crucial das agências e montanhistas, que deveriam trabalhar para deixar a montanha sempre limpa. O segundo erro vem do governo que não fiscaliza de forma correta. Pela lei, cada agência que tem sua base montada no Campo Base, deveria ser acompanhada por um Oficial de Ligação, e isso nunca acontece. A fiscalização deveria se estender aos acampamentos superiores e ser aplicada uma multa para a agência que deixar lixo na montanha.

Agradecimentos

Ainda há muito o que se falar da temporada 2018, novos podcast e novos artigos surgirão. Relatos para o (livro) anuário 2018 do Extremos também serão preparados. Gostaria de agradecer a todos os 9 alpinistas brasileiros que estiveram no Everest, pela atenção que sempre é dada a Cobertura Online do Extremos, tornando sempre o ponto de referência para quem gosta de montanhismo. Obrigado a Fatima Williamson, Joel Kriger, Roman Romancini, Henrique Franke, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro, Carlos Santalena, André Freitas e Gilberto Thoen. Obrigado também aos que ficaram no Campo Base dando apoio, Lyss Zangaro e Rafael Duarte, que me derem todo o suporte com informações precisas sobre tudo o que estava acontecendo. Obrigado também a todos os familiares dos alpinistas brasileiros, que sempre mantenho contato e que me ajudam muito com informações, principalmente no momento mais crucial, o Ataque ao Cume. Obrigado também a rede de jornalistas que montamos todas as temporadas, para que assim possamos trocar informações e nos mantermos atualizados, entre eles Alan Arnette e Rajan Pokhrel e os sites Desnivel, Himalayan DataBase, Montagna TV, Alpinismo Online, entre outros. Obrigado a Gyanendra Shrestha, o Oficial de Ligação que sempre me auxilia no momento mais crítico. Obrigado a todos os internautas que acompanham a Cobertura Online do Everest há anos, e obrigado também aos que começaram a acompanhar agora.

Rocky Mountains

Nestes primeiros 5 meses de 2018 lancei 5 livros: Tour du Mont Blanc - Em Busca de Emelie (o meu primeiro livro autoral), o Trekking Everest (livro da Alessandra Bibas), o Anuário 2017 e reeditei e lancei em formato impresso o Anuário 2016. Acabei de enviar para a gráfica o novo livro do Rafael Scanavacca, com o título de “Entre Abismos”, que ficará pronto em 20 dias, mas com lançamento previsto para agosto. Também estou escrevendo o meu segundo livro: Kungsleden, uma caminhada do Ártico, que devo lançar até o início de 2019. Em 2018 gravei quase 30 Podcasts e outros estão sendo preparados. Fiz algumas outras coberturas e terminando com a Cobertura que é o carro chefe do Extremos, a do Everest.

Rocky Mountains - A nova expedição do Extremos
 

Foi um início de ano agitado, trabalhando sem parar 7 dias por semana e agora chegou a hora de recarregar as baterias, chegou a hora de voltar à Natureza Selvagem. Dia 3 de junho embarco para Calgary, no Canadá, onde junto com Rose Eidman e Daiane Luise faremos a primeira travessia brasileira dos 1.100 km da Great Divide Trail, nas Rochosas Canadenses (Rocky Mountains). Serão pelo menos 64 dias de viagem, 64 dias trabalhando para gerar conteúdo para o meu terceiro livro. Estar em contato com a Natureza Selvagem, em busca de novos desafios, é a melhor forma de agregar experiências e me manter atualizado com o que de fato acontece no mundo da aventura, e com certeza toda essa experiência me ajuda a escrever com mais propriedade e entender outros pontos de vistas, tornando assim o Extremos cada vez melhor.

Nos acompanhe e se possível, colabore com a expedição comprando os livros abaixo. Muito obrigado e nos vemos em breve direto do Canadá.

     
R$ 65,00 - 300 PÁGINAS   R$ 50,00 - 140 PÁGINAS   R$ 66,00 - 248 PÁGINAS   R$ 66,00 - 248 PÁGINAS
             
Escolha um livro, depois volte aqui e escolha mais livros, antes de finalizar a compra! FRETE INCLUSO
 
comentários - comments
 

 

23 e 24.05.2018 - 08:15 Nepal | 17:00 Brasil (atualizando)

Summit Fever

  Elias Luiz  

Gilberto Thoen comentou que teve o que todos chamam de “Summit Fever”, quando o alpinista, mesmo com horário tardio ou já desgastado fisicamente, quer chegar ao cume do Everest. Gilberto chegou ao cume do Everest às 13:45. Horário muito tardio, normalmente se pede que chegue ao cume no máximo até às 12:00 ou 12:30. Isso é apenas uma recomendação sensata para que o alpinista tenha tempo de descer para o Campo 4 com a luz do dia.

Minutos depois que Gilberto Thoen chegou ao cume, o Oficial de Ligação que estava no Campo Base, e que é a minha fonte, informou que ele chegará às 13:45. Este horário tardio escondia duas informações importantes. A subida dele não deve ter sido nada fácil, com certeza enfrentou problemas ou dificuldades físicas, para chegar assim tão tarde. Segundo, a pior parte da escalada estava por vir, a descida, já com o corpo acumulando horas, dias e semanas de esforços contínuos. Sabia que o Gilberto teria complicações para descer.

No momento que ele chegou ao cume, informei a sua esposa em Canela e a sua filha em Rio Branco. “Está tudo bem, ele chegou ao cume agora. Podem comemorar. Ele vai ficar lá alguns minutos e depois é só descer, mais umas 4 ou 5 horas ele chega em segurança no Campo 4”, disse tentando tranquilizar as duas.

Estava louco para publicar aqui na cobertura o drama que o Gilberto estava enfrentando e que iria enfrentar ainda mais na descida, mas, como já aconteceu outras vezes, resolvi poupar essas informações aqui, pois sabia que as duas estavam acompanhando a cobertura e que ficariam ainda mais aflitas. Já basta o Gilberto em perigo lá, colocar as duas em perigo aqui não era o que eu queria. Publiquei na Cobertura apenas que ele havia feito cume e o horário. Muitos que acompanhavam a Cobertura entenderam a mensagem subliminar.

Depois que o Gilberto chegou ao Campo 4, desceu para o Campo 2 e quando estava descendo para o Campo Base, recebi a informação que tinha acontecido uma avalanche na Cascata de Gelo. Nova preocupação, pois sabia que o Gilberto poderia estar nas imediações, durante a sua descida.

A primeira mensagem que o Gilberto me enviou assim que chegou no Campo Base foi:

“Acabei de chegar no Base, nossa Elias, febre de cume!! E a volta... Que sufoco, pensei que tinha perdido na prorrogação! Nem te falo agora. Depois da tua próxima aventura [Rocky Mountains], vem a Canela passar uns dias, daí fazemos um relatório exato do que é essa febre de cume e como ela age em você, é impressionante. Você não acredita como está o colapso da cascata de gelo agora, pegamos um bafo de avalanche, nada fácil.”

Gilberto Thoen direto do Campo base, depois do cume

• As fotos dos 7 brasileiros que chegaram ao cume do Everest em 2018.

 
A bandeira do Extremos com Gilberto Thoen no cume do Everest | 13h45 - 21.05.2018
Gilberto Thoen no cume do Everest | 13h45 - 21.05.2018
André Freitas no cume do Everest | 06h43 - 21.05.2018
Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Carlos Santalena no cume do Everest (8848m) | 07h43 - 20.05.2018
Henrique Franke no cume do Everest | 09h00 - 19.05.2018
Roman Romancini no cume do Everest (8848m), dia 16.05.2018 às 11:30. Foto: Padawa Sherpa

• Deixe o seu comentário no mural.

22.05.2018 - 18:40 Nepal | 06:55 Brasil

4ª e 5ª Morte no Everest

  Elias Luiz  

O guia Damai Sarki Sherpa caiu em uma fenda perto de Camp II quando ele estava acompanhando um alpinista estrangeira à um helicóptero que pousou para a evacuação. As equipes de resgate tiveram, tiraram Damai da fenda ainda com vida e ele foi transportado parao o Campo Base e depois para Namche Bazaar para receber cuidados médicos, mas acabou falecendo.

07:05 Brasil - 15:50 Nepal | Campo Base

• Carlos Santalena, Renato Zangaro e Ayesha Zangaro estão de volta ao Campo Base.

• Gilberto Thoen desceu para o Campo 2.

• A mensagem de Joel Kriger sobre o motivo de ter desistido do Ataque ao Cume no dia 20 de maio. Lembrando que Joel passou por uma cirurgia cardíaca em 2017.

“Dias de muito esforço e concentração, subi ao campo 2, variação de temperatura de -10ºC a 38ºC, no dia seguinte descanso. Dia 17 é o verdadeiro início do Ataque ao Cume, subi do campo 2 para o 3 com muito esforço, e um calor que chegou a 45ºC graus, o previsto eram 6 horas levei quase 12 horas, fiquei extremamente preocupado, no dia seguinte subida ao campo 4, a demora em chegar, 12 horas, e o final onde o Carlos Santalena me rebocou os últimos metros, a situação da minha forma física mostrou problemas visíveis, dormi no Campo 4 para saída na noite seguinte, após pouco mais de 400 metros senti que não tinha condições, paciência, o Everest continua esperando, obrigado a todos que acompanharam o meu diário.

Joel Kriger, direto do Campo Base

07:10 Brasil - 15:55 Nepal | Rocky Mountains

Gostaria de pedir o apoio de toda a comunidade de internautas que acompanham a Cobertura Online do Everest, que eu faço há 13 anos, ininterruptamente. No início de junho partirei para uma travessia de 1.100 km nas Rocky Mountains. Compre via PayPal um livro do Extremos e apoie assim a minha expedição. Conto com a colaboração de todos! Para compras via depósito em conta, clique na imagem do livro. Obrigado pelo apoio!

Para empresas ou pessoas físicas com compras acima de 10 livros, haverá 20% de desconto. Entre em contato: portalextremos@gmail.com

08:40 Brasil - 17:25 Nepal | 5ª morte

Mingma Gelu Sherpa, diretor da Seven Summit Adventure, confirmou hoje que Pasang Norbu Sherpa (41) de Khari Khola de Pasang Lhamu município rural no distrito de Solukhumbu morreu no acampamento alto enquanto se dirigiam para o ataque ao cume do Everest pelo lado Tibet, em 18 de maio.

21.05.2018 - 00:01 Nepal | 15:16 Brasil

Ataque ao cume de Gilberto Thoen e André Freitas

  Elias Luiz  

Hoje a cobertura será ao estilo dos velhos tempos. Gilberto Thoen e André Freitas não estão usando SPOT (rastreador via satélite). “Como as esposas e mães deixaram eles sairem de casa sem um SPOT?” (rssss). Por isso hoje será bem mais difícil rastreá-los ponto a ponto. Mas farei a Cobertura sim, usando os contatos que tenho no Campo Base, cruzando informações, falando com pai, mãe e cachorro de cada um, falando com outras equipes, esperando algum sinal de fumaça e assim por diante, como sempre fiz e sempre deu certo e que era uma forma gostosa de garimpar informações.

Alex Harz, companheiro de equipe de Gilberto Thoen tem um rastreador, mas até o momento, 00:01 (Nepal), ainda continua com o sinal no Campo 4. Será que ele esqueceu de ligar o rastreador? Será que resolveram dormir uma noite no Campo 4?

Com André Freitas será ainda mais difícil, nem ele nem os amigos de equipe tem um rastreador. Ele está em uma agência grande, que não costuma “vazar” informações nem pra mãe. A jornada será dura.

15:35 Brasil - 00:20 Nepal | Começou

O sinal do GPS do Alex já mostra alguma movimentação. Sim, o rastreamento está meio deslocado, mas durante toda a expedição consultei o rastreador do Alex e o Garmin sempre mostrava o ponto um pouco deslocado do real. Com o tempo veremos ele se movimentar mais e assim teremos certeza.

Uma hora atrás Alex havia informando que estavam prontos para partir para o cume do Everest.

16:15 Brasil - 01:00 Nepal | 2ª Morte no Everest

O montanhista Gjeorgi Petkov, de 63 anos, da Macedônia, teve uma parada cardíaca enquando se aproximava da Yellow Band, na escalada entre o Campo 3 para o Campo 4. Ele foi baixado para o Campo 3, onde acabou falecendo. Ele era integrante da agência de Tim Mosedale. O corpo será levado para o Campo 2 e depois tranportado de helicóptero para Katmandu.

16:30 Brasil - 01:15 Nepal | André Freitas

Confirmado! André Freitas partiu para o Ataque ao Cume do Everest. A previsão é que alcance o cume do Everest (8848m) aproximadamente a meia-noite, madrugada de domingo para segunda-feira (no Brasil), 09:00 no horário do Nepal.

19:30 Brasil - 04:15 Nepal | Balcony

Eles estão chegando no Balcony (8380m). Daqui até o cume são mais aproximadamente 5 horas de escalada. Eles devem chegar ao cume entre meia-noite e uma hora da madrugada. No Balcony eles descansam um pouco e aproveitam para fazer a troca de cilindro de oxigênio. É normal eles utilizarem durante toda a escalada a vazão de 3 litros/minuto. Alguns alpinistas optam por 4 litros/minuto, o que ajuda a aquecer mais o corpo ao respirar mais oxigênio. Mas com o consumo maior, haverá a necessidade de fazer mais trocas de cilindros de oxigênio.

21:03 Brasil - 05:48 Nepal | Zig-Zag

Para quem acompanhou neste últimos dias a Cobertura e o rastreamento via SPOT, sempre que eles chegavam neste ponto acima do Balcony, o sinal do SPOT seguia para a direita depois descia, e depois subia de novo. Vamos ver se pelo Garmin isso acontecerá. O sinal já deu uma guinada para a direita. (a rota vai para a esquerda daqui a pouco).

Ahhh... e o Sol está nascendo agora por lá.

 
Os líderes da expedição da IMG, Greg Vernovage e Ang Jangbu, no Campo Base, monitorando seus montanhistas e Sherpas no Ataque ao Cume.

22:30 Brasil - 07:15 Nepal | Cume Sul

André Freitas está no Cume Sul (8686m). Menos de duas horas para o cume.

 
A sombra do Everest estende-se sobre os Himalaias com o nascer do sol (foto: Paul Pottinger)
Vista a partir do Cume Sul, olhando para a travessia de Hillary Step e o cume acima. (foto Paul Pottinger)
 

23:41 Brasil - 08:26 Nepal | IMG no cume

ÉÉÉÉÉ CCUUUUMMMEEEEE - André Freitas acaba de chegar ao cume do Everest.

• Já temos quase 600 cumes no Everest na temporada de Primavera de 2018. Os números no placar da página estão congelados porque não chegou corretamente a divisão de cumes entre Sherpas e extrangeiros.

• Há informação que a longa janela de cume deve se fechar a partir de amanhã. Já está chegando rajadas de vento no cume do Everest, ainda não é um Jetstream, mas pode se tornar nos próximos dias. A temporada está próxima do fim, mas ainda teremos mais alguns dias de ataque ao cume, pois tem equipes no Campo 3.

• Carlos Santalena, Ayesha Zangaro e Renato Zangaro estão descendo para o Campo 2.

00:30 Brasil - 09:15 Nepal | Confirmada 3ª morte (atualizado)

O montanhista japonês, Nobukazu Kuriki, de 36 anos, foi encontrado morto. Kuriki tinha desaparecido às 23:30 quando tentava escalar do Campo 2 para o Campo 3. Ele enviou uma mensagem de rádio, pedindo socorro. Ele estava com muita tosse e dor. Os Sherpas que estavam no Campo 3 desceram em sua busca, mas não o econtraram. Kuriki só foi encontrado na manhã do dia 21 próximo ao campo 2, já sem vida. Kuriki era famoso por ter feito quatro tentativas de escalar o Everest nos anos anteriores, na temporada de Outono. Ele havia perdido nove dedos devido ao congelamento após desistir do cume em 2012. Ontem ele havia desistido de sua 5ª tentativa de escalar o Everest. Seu corpo será levado de helicóptero para Katmandu.

05:54 Brasil - 14:15 Nepal | Gilberto Thoen

ÉÉÉÉÉÉÉ CCUUUUUUMMMMEEEEEEE!!! - Gilberto Thoen chegou ao cume do Everest às 13h45 (horário Nepal).

12:00 Brasil - 20:45 Nepal | André Freitas

André Freitas já está no Campo 2. Já telefonou para a mãe e para a irmã. Tudo bem com ele. Amanhã desce para o Campo Base.

13:05 Brasil - 21:50 Nepal | Sete Cumes

Gilberto Thoen já está no Campo 4, onde irá dormir essa noite. Com a escalada ao cume do Everest, Gilberto Thoen se tornou o 9º brasileiro a completar os 7 Cumes.

 
Gilberto Thoen é o 9º brasileiro a completo os 7 Cumes.
 

Os 23 brasileiros que chegaram ao cume do Everest

         
1º (2 cumes)
Cume: 14.05.1995
Face Norte (Tibet)
Idade no cume: 29 anos
2º Cume: 02.06.2005
Face Sul (Nepal)
Nascimento: 12.03.1966
Foz do Iguaçu / PR



Cume: 14.05.1995
Face Norte (Tibet)
Idade no cume: 32 anos
Faleceu em uma avalanche na face sul do Aconcágua no dia 03.02.1998
Nascimento: 14.06.1962
Teresópolis / RJ


Cume: 02.06.2005
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 33 anos
Nascimento: 12.06.1971
Curitiba / PR




4º (2 cumes)
Cume: 02.06.2005
Face Norte (Tibet)
Idade no cume: 37 anos
2º Cume: Face Norte, sem o uso de oxigênio suplementar. Morreu de HAPE ou HACE, no Campo 3 (8.300m), em 19.05.2006
Nascimento: 13.12.1967
Belo Horizonte / MG

Cume: 19.05.2006
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 40 anos
Nascimento: 11.01.1966
Igarapava / SP




         
6º (3 cumes)
Cume: 27.05.2008
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 39 anos
2º Cume: Face Sul - 20.05.2011
3º Cume: Face Sul - 21.05.2013
Nascimento: 09.05.1969
Ibitinga / SP




Cume: 27.05.2008
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 38 anos
Nascimento: 02.07.1969
Campinas / SP






Cume: 17.05.2010
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 53 anos
Nascimento: 20.08.1956
Farroupilha / RS






Cume: 17.05.2010
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 46 anos
Nascimento: 04.01.1964
Manaus / AM





10º (3 cumes)
Cume: 07.05.2011
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 24 anos
2º Cume: 19.05.2016
Face Sul (Nepal)
3º Cume: 20.05.2018
Face Sul (Nepal)
Nascimento: 10.05.1986
Campinas / SP

         
11º
Cume: 07.05.2011
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 38 anos
Nascimento: 27.04.1973
São José dos Campos / SP


12º (2 cumes)
Cume: 17.05.2013
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 31 anos
2º Cume: - 21.05.2017
Face Norte (Tibet)
Nascimento: 14.05.1982
São Paulo / SP
13º
Cume: 23.05.2013
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 43 anos
Nascimento: 28.02.1970
São Paulo / SP


14º
Cume: 19.05.2016
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 37 anos
Nascimento: 26.11.1978
Bauru / SP


15º
Cume: 21.05.2016 - 6h00
Face Norte (Tibet)
Idade no cume: 47 anos
Nascimento: 26.11.1968
Monsenhor Tabosa / CE


         
16º
Cume: 21.05.2016 - 7h00
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 38 anos
Nascimento: 15.03.1978
Pelotas / RS

17º
Cume: 16.05.2017 - 10h30
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 42 anos
Nascimento: 10.06.1974
São Paulo / SP

18º
Cume: 16.05.2018 - 11h30
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 43 anos
Nascimento: 03.02.1975
Brasília / DF

19º
Cume: 19.05.2018 - 09h00
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 29 anos
Nascimento: 08.03.1989
Santa Rosa / RS

20º
Cume: 20.05.2018 - 07h43
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 23 anos
Nascimento: 06.09.1994
São José dos Campos / SP

         
   
21º
Cume: 20.05.2018 - 07h43
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 60 anos
Nascimento: 07.04.1958
Votuporanga / SP

22º
Cume: 21.05.2018 - 06h43
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 49 anos
Nascimento: 14.05.1969
Criciúma / SC

23º
Cume: 21.05.2018 - 13h45
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 55 anos
Nascimento: 25.10.1962
Novo Hamburgo / RS

   
         

19 e 20.05.2018 - 18:45 Nepal | 10:00 Brasil

Ataque ao cume

  Elias Luiz  

Hoje iremos acompanhar o Ataque ao Cume de Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Joel Kriger. Está programado da equipe iniciar o a escalada às 19:30 no horário local (10:45 no horário de Brasília). Faremos toda a Cobertura até o momento de cume, que deve acontecer por volta da meia-noite deste sábado.

Pai e filha estão escalando juntos o Everest. A mãe, Lyss Zangaro, está no Campo Base dando todo o apoio, inclusive com informações para a nossa Cobertura Online. Foi ela que nos confirmou o cume de Henrique Franke.

11:35 Brasil - 20:20 Nepal | Começou

Como o Ataque ao Cume teve início mais cedo, 19:30, espera-se que o cume também aconteça mais cedo. Deve acontecer ainda nesta sábado, pouco antes da meia-noite no horário de Brasília. No Nepal, um pouco antes das 9:00 da manhã do dia 20 de maio.

14:00 Brasil - 24:45 Nepal | Paul Ling

Carlos Santalena e equipe estão chegando próximo ao Balcony. Corrigindo uma informação que dei ontem, o australiano Paul Ling, que faz parte da equipe da Grade6, ontem desistiu do cume e voltou para o Campo 4. Hoje, Paul está fazendo o Ataque ao Cume junto com Carlos.

14:20 Brasil - 00:05 Nepal | Recordes

Ayesha Zangaro chegando ao cume se tornará a brasileira mais jovem no topo do mundo, com apenas 23 anos. O atual recorde pertence ao seu guia, Carlos Santalena, que chegou ao cume em 2011 com apenas 24 anos.

É a primeira vez que pai e filha - Ayesha e Renato - estão escalando o Everest. Isso entre os brasileiros.

Joel Kriger chegando ao cume se tornará o brasileiro mais velho no topo do mundo, com 64 anos. Atualmente o recorde pertence ao Manoel Morgado, que chegou ao cume em 2010 com 53 anos.

15:30 Brasil - 00:11 Nepal | Balcony

A equipe está no Balcony (8380m), onde descansarão um pouco e farão a troca do cilindro de oxigênio. Normalmente eles usam a vazão de 3 litros/minuto. Em breve o sinal no SPOT fará uma virada à esquerda, na trilha para o cume.

Carlos Santalena e equipe estão usando as máscaras de oxigênio da Summit Oxygen, a mesma marca que deu problema na face norte com a equipe da Fatima Williamson, mas o modelo que eles estão usando é diferente. Ontem Henrique Franke foi para o cume com essa máscara e não teve nenhum problema.

16:20 Brasil - 01:05 Nepal | Balcony

Equipe acaba de passar pelo Balcony (8380m). Deste ponto até o cume, Henrique fez em 4 horas, e Roman Romancini fez em 8 horas. Fazendo uma média, os primeiros montanhistas da equipe do Carlão devem chegar ao cume por volta das 22h00 no horário de Brasília, (7h no horário do Nepal).

18:00 Brasil - 02:45 Nepal | Variáveis

O aparelho SPOT Gen3 está com Carlos Santalena. É ele que estamos seguindo. Carlos tem como objetivo guiar a Ayesha e o Renato. Joel está acompanhado com um Sherpa e está mais independente e pode ir ao seu rítmo. Carlos, Ayesha e Renato também estão acompanhados com Sherpas. Eu sei onde Carlos está, pelo SPOT, mas onde Ayesha, Renato e Joel estão, só posso imaginar que seja próximo dele. No mínimo junto com o Carlos estará a Ayesha, que na sexta-feira escalou muito bem até o Campo 4. Se porventura (tomará que não) algum outro integrante da equipe desista, não tem como eu saber neste momento. Mas, assim que amanhecer lá no Nepal, devo receber notícias se a equipe se manteve completa rumo ao cume.

19:20 Brasil - 04:05 Nepal | Escalando

Os brasileiros sairam às 19h30 (Nepal) do Campo 4 (8000m). Já se passaram oito horas e meia de escalada. Acredito que ainda há mais quatro horas até o cume e depois mais seis horas para descerem para o Campo 4, onde irão dormir. O ciclo de atividade física deles hoje será mais ou menos de 18 horas, acima dos 8.000 e chegando aos 8848m.

Se você ainda não viu esse vídeo, aproveite, é fantástico e mostra a escalada rumo ao cume do Everest (foi filmado em 2013). Exatamente o que os brasileiros estão fazendo hoje.

Experimente como é a parte final da escalada do Everest, pela Face Sul (Nepal). Também mostra os alpinistas passando pelo famoso Hillary Step.

21:00 Brasil - 05:45 Nepal | O Sol

O Sol nasceu alguns minutos atrás, alegrando o dia de cada montanhista rumo ao cume do Everest. O calor e a luz natural para escalar, dará mais ânimo para eles. Um passo de cada vês, um objetivo de cada vez e o próximo é chegar ao cume Sul, que ainda está a pelo menos uma hora de escalada.

 
Cume Sul com vista para o Hillary Step e o Cume. Foto: Agência Climbing The Seven Summits - 17.05.2018

21:20 Brasil - 06:05 Nepal | Que horas sair?

O horário de início da escalada do Campo 4 para o Cume é focado para que na descida, depois do Cume, o alpinista chegue no Campo 4 antes de anoitecer. Pois será o momento em que ele estará mais desgastado fisicamente, depois de 15 a 20 horas de escalada ininterrupta. É exatamente por isso que cada vez mais eles partem mais cedo, no início da noite do dia anterior. Nos anos 90 a saída acontecia a meia-noite. Com o tempo foram percebendo que precisavam de mais tempo de segurança para a descida acontecer durante o dia. Conforme as décadas foram passando e a escalada do Everest foi se tornando cada vez mais famosa e atraindo mais pessoas, e mais pessoas significa, mais pessoas na trilha, mais lentidão para chegar ao cume. Por isso os alpinistas começaram a sair mais cedo, tentando ser os primeiros da fila de escalada. Hoje em dia é comum ver alpinistas partindo as 19h, ou como o Carlos Santalena e equipe fizeram, saíram as 19h30.

Esse horário de saída também não pode acontecer tão cedo, pois pode acontecer dos alpinitas chegarem ao cume ainda de noite, e perderiam toda a maravilhosa vista do topo do mundo. E foi exatamente isso que acabou de acontecer minutos atrás com Matt Moniz e Willie Benegas:

“Nós subimos muito rápido, então paramos no Cume Sul, por uma hora, para esperar o Sol nascer.”

Matt e Benegas chegaram ao cume as 04:59 de hoje, 20.05.2018

22:00 Brasil - 06:45 Nepal | Joel desistiu

Joel Kriger desistiu do Ataque ao Cume e está em segurança de volta ao Campo 4. Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e o australiano Paul Ling estão bem próximos do Hillary Step. Faltam menos de 90 minutos para o cume.

22:40 Brasil - 07:25 Nepal | Hillary Step

Carlos, Ayesha e Renato chegaram na parte mais técnica da escalada do Everest pela face sul, o Hillary Step.

22:58 Brasil - 07:43 Nepal | ÉÉÉÉÉ CCCUUUUUUMMEEEE

ÉÉÉÉÉÉÉ CCCUUUUUUMMMEEE - Carlos Santalena, Ayesha Zangaro e Renato Zangaro chegaram ao cume do Everest (8848m) às 07:43 no horário do Nepal.

• Pai e filha - Ayesha e Renato - no cume do Everest (8848m). A mãe, Lyss Zangaro, está comemorando no Campo Base do Everest (5350m).

• Ayesha Zangaro é a brasileira mais jovem a escalar o Everest, com apenas 23 anos. O recorde pertencia ao seu guia, Carlos Santalena, que chegou ao cume do Everest em 2011 com apenas 24 anos.

• Renato Zangaro é o brasileiro mais velho a chegar ao cume do Everest, 60 anos.

• Carlos Santalena chega ao seu 3º cume do Everest (2011, 2016 e 2018), igualando os três cumes de Rodrigo Raineri (2008, 2011 e 2013).

• O australiano Paul Ling chegou ao cume às 07:30.

Parabéns a todos pelo cume e retornem em segurança.

Mantendo a tradição, fiquem abaixo com o Tema da Conquista.

 
TEMA DA CONQUISTA - Maestro: Burkhard Dallwitz | Música: Tibet | Álbum: The Way Back Soundtrack

07:50 Brasil - 16:35 Nepal | De volta ao Campo 4

Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e o australiano Paul Ling já estão de volta ao Campo 4, onde irão dormir está noite. Amanhã eles descem para o Campo 2 e na terça-feira, descem para o Campo Base.

Joel Kriger e Henrique Franke já estão em segurança no Campo 2.

11:30 Brasil - 20:15 Nepal | Gilberto e André

Gilberto Thoen e André Freitas estão no Campo 4. Hoje, às 13h (Brasília) devem iniciar o Ataque ao Cume.

 
online
 
ÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ CCUUUUUUUUMMMMMEEEEE - Carlos Santalena, Ayesha Zangaro e Renato Zangaro chegaram ao cume do Everest, às 07:43 (Nepal)
Acompanhe em tempo real o deslocamento de CARLOS SANTALENA através do seu SPOT GEN3.
 

19.05.2018 - 00:10 Nepal | 15:25 Brasil

Fotos do Cume e cume

  Elias Luiz  

Acabamos de receber com exclusividade as primeiras fotos do cume de Roman Romancini, quando chegou ao topo do Everest (8848m) no dia 16 de maio, às 11:30 da manhã. Parabéns pela sua conquista Roman Romancini, todo o público ligado no Extremos está orgulhoso deste grande feito.

• Henrique Franke continua sua escalada rumo ao cume do Everest.
• Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Joel Kriger vão descansar essa noite noite no Campo 4 (8000m) e amanhã, às 13h no horário de Brasília, partem para o Ataque ao Cume do Everest.

• Agora está ativo o rastreamento do SPOT Gen3 do Henrique Franke.

17:30 Brasil - 02:15 Nepal | Henrique

• Henrique está escalando bem. Deve chegar ao Balcony em menos de 2 horas.

• Roman Romancini e Rafael Duarte, que neste momento estão dormindo no Campo Base, voarão amanhã às 6h30 direto para Katmandu, encerrando a sua expedição.

17:30 Brasil - 02:15 Nepal | Plano B

• Carlos Santalena havia me confidenciado dias atrás que tinha um "Plano B", caso necessário. Será que era esse o Plano B, um pernoite a 8000m? Ele também comentou que tinha 47 cilindros que oxigênio e que os Sherpas levariam tudo para os acampamentos altos. Se fizermos as contas: 7 Sherpas = 7 Cilindros de Oxigênio. Sobraria para cada montanhista 6 cilindros. Normalmente um montanhista usa 4 cilindros de oxigênio ou no máximo, 5. Então é bem provável que eles tenham de reserva alguns cilindros de oxigênio para passar essa noite a 8000m.

• Henrique Franke está bem próximo do Balcony, onde fará uma parada de descanso e aproveitará para fazer a troca do seu cilindro de oxigênio.

20:15 Brasil - 05:00 Nepal | Corrida e tudo ok

Fui dar uma corrida para queimar um pouco as calorias e principalmente para baixar a adrenalina, e comecei a receber muitas mensagens perguntando se o Henrique Franke havia desistido do Ataque ao Cume? Voltei voando! rsss

O Henrique continua na sua escalada rumo ao cume. Acontece que neste trecho acima do Balcony, a trilha muda um pouco para a esquerda e vai aparecer alguns zigue-sagues no sinal do SPOT. Mas é isso é normal.

• Recebi uma informação que o Carlos Santalena e equipe partem amanhã rumo ao cume do Everest às 19:30 (10:45 no horário de Brasília). Perfeito, assim devem ser os primeiros a neste dia rumo ao topo do mundo, evitando as filas.

21:10 Brasil - 05:55 Nepal | Quinto dia

Esse é o quinto dia consecutivo de ataque ao cume. Até ontem, dia 18 (no Nepal), foram registrados 445 montanhistas e sherpas na face norte e sul do Everest nesta temporada. Estima-se que hoje, apenas na face sul devem chegar ao cume aproximadamente 100 pessoas.

• O dinamarquês Rasmus Kragh, está escalando na Face Norte do Everest (Tibet) sem o uso de oxigênio suplementar e o apoio de Sherpas. Está próximo do cume já. Ele se tornará o primeiro dinamarquês a escalar sem O2 suplementar.

• Estou estimando que Henrique Franke deve chegar ao cume do Everest por volta das 10h da manhã no Nepal (01:15 da madrugada no Brasil).

22:30 Brasil - 07:15 Nepal | Máscara de oxigênio

Eu não estava querendo falar deste assunto, mas como a Amanda Leite perguntou, terei que responder: “Elias, o pessoal que teve problemas no regulador da máscara de oxigênio, tentaram novamente escalar o Everest?”

Haviam duas equipes da agência Alpenglow, uma delas, que a Fatima Williamson fazia parte, realmente encerrou a expedição. Alguns integrantes da outra equipe conseguiu máscaras novas com outras equipes e farão uma nova tentativa.

No primeiro momento que fiquei sabendo do problema dos reguladores das máscaras da empresa Summit Oxygen, me perguntei. “E a equipe do Carlos Santalena, que máscaras eles estão utilizando?”

Lembro que o Carlão disse no meio desta temporada que havia trocado de máscaras e que agora estava usando um mais moderna e de fácil regulagem. Na hora subiu um frio na minha espinha. Será o mesmo tipo de máscara?

Sim, é a mesma máscara! Não sei se exatamente o mesmo modelo e ano de fabricação. Vale lembrar que essa é uma excelente máscara, mas que infelizmente um lote deve ter tido problemas com o pessoal na Face Norte. Mas claro, não queremos que este problema esteja nas mãos dos nossos amigos brasileiros.

O problema com as máscaras da agência Alpenglow aconteceu entre 7700m a 8686m. Carlão e equipe estão acordando agora a 8000m e como eles até o momente não desceram correndo para o Campo 2, então acho que as máscaras deles estão perfeitas. Como também o Henrique não deu meia-volta até o momento, a máscara dele deve estar funcionando bem.

Mas que deu um calafrio em saber que eles estão usando a mesma marca de máscara, isso deu, e foi somente em mim. Agora acho que muitos de vocês sentirão um pouco desse pavor. rsss. Eu tento não entrar nestes assuntos mais pôlemicos, mas vocês me perguntam, fazer o quê?

• Henrique continua subindo.

• Neste momento muitos alpinistas estão chegando ao cume, de ambos os lados do Everest.

 
Henrique Franke no campo base testando a máscara de oxigênio da Summit Oxygen.

23:50 Brasil - 08:35 Nepal | Máscara ok, Cume Sul e Hillary Step

Fui informado que a equipe da Grade6 está usando as máscaras da Summit Oxygen, mas o modelo é diferente da máscara que apresentou problema na Face Norte. Ufa!

• Henrique já passou pelo Cume Sul. Agora está na parte mais temida da escalada do Everest, o Hillary Step. É uma parte bem técnica, mas que nos últimos anos a passagem estava mais facilitada, ou porque o terremoto de 2015 deslocou algumas rochas, ou porque tinha muita neve. Ainda não recebi nenhuma foto este ano do Hillary Step.

Do Hillary Step até o cume deve demorar no máximo uma hora. Falta pouco.

00:15 Brasil - 09:00 Nepal | ÉÉÉÉÉÉ CUUUMMMEEEE

Henrique Franke chegou ao cume do Everest e se torna o 19º brasileiro a chegar ao topo do mundo. Parabéns ao Henrique Franke pela conquista. Parabéns a Grade6 por colocar mais um brasileiro no topo do mundo.

 
TEMA DA CONQUISTA - Maestro: Burkhard Dallwitz | Música: Tibet | Álbum: The Way Back Soundtrack
 

Henrique já está descendo.

07:35 Brasil - 16:20 Nepal | Campo 4

Henrique Franke está de volta ao Campo 4 (8000m).

• Amanhã, às 11h00, começa o Ataque ao Cume do Everest com Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Joel Kriger. Acompanhe aqui!

 
ATUALIZADO: 00:35 - EÉÉÉÉ CUUUUUMMMME
O dia amanhecendo durante a escalada de Roman Romanci ao cume do Everest. Foto: Padawa Sherpa
Roman Romancini na aproximação do cume do Everest. Foto: Padawa Sherpa
Roman Romancini acima do Cume Sul. Foto: Padawa Sherpa
Roman Romancini no cume do Everest (8848m), dia 16.05.2018 às 11:30. Foto: Padawa Sherpa
 

18.05.2018 - 06:05 Nepal | 21:20 Brasil (atualizando)

Rumo ao Campo 4

  Elias Luiz  

Carlos Santalena, da Grade6 Viagens, que já escalou o Everest duas vezes - 2011 e 2016 - agora parte para mais um ataque ao cume, podendo se igualar a Rodrigo Raineri, que escalou o Everest três vezes - 2008, 2011 e 2013. O objetivo principal de Carlos Santalena este ano é guiar Ayesha Zangaro ao topo do mundo. Ayesha de apenas 23 anos, ao chegar ao cume quebrará o atual recorde de brasileira mais jovem no cume, que atualmente pertence ao seu guia, Carlos Santalena, que em 2011 chegou ao cume com apenas 24 anos. Já naquela época foi um feito extraordinário, pois o recorde pertencia a Waldemar Niclevicz, desde 1995, quando ele chegou ao cume com apenas 29 anos.

Por volta das 8:00 - 23h no horário de Brasília - Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro, Joel Kriger e Henrique Franke começarão a escalada rumo ao Campo 4 (8000m), onde devem chegar por volta das 14:45 - 6h no horário de Brasília. Tentarão dormir até 21h, quando partirão definitivamente para o Ataque ao Cume do Everest. No Brasil será 12:15, e a partir deste horário o Extremos fará toda a cobertura até a chegada de todos os brasileiros no cume do Everest, onde os primeiros podem chegar por volta das 8h da manhã no Nepal - 23h15 no horário de Brasília. Claro, como você puderam acompanhar no Ataque ao Cume do Roman Romancini, 8h seria um horário ideal, mas que sempre acontece atrasos ou mesmo ser natural da escalada de cada um ou devido ao clima ou a quantidade de alpinistas que estiverem escalando neste dia.

A Cobertura onde eu coloco em vermelho o próximo horário de atualização acontecerá a partir do meio-dia desta sexta-feira. Mas até lá estarei sempre ligado e pronto para publicar informações assim que elas cheguarem.

Flashes

• Roman Romancini dormiu no Campo 2 e hoje deve descer para o Campo Base, finalizando assim a sua escalada do Everest.

• André Freitas e Gilberto Thoen estão no Campo 2, e devem tirar essa sexta-feira como dia de descanso.

• Morreu um russo tentando escalar o Lhotse. O alpinista russo, Rustem Amirov, quando estava quase chegando ao cume, começou a sentir os sintomas do Mal de Altitude, e deu meia-volta. Segundo informações, o russo fez apenas um Ciclo de Aclimatação antes da tentativa de cume. Rustem foi encontrado inconsciente acima do Campo 3 e baixado pelos Sherpas para o Campo 2, mas infelizmente já era tarde demais e faleceu.

23:42 Brasil - 08:27 Nepal | Brasileiros subindo

Carlos Santalena e equipe estão subindo para o Campo 4. Reparem no ONLINE (acima dos Podcasts), onde está rastreamento do SPOT, que agora troquei para o SPOT do Carlos Santalena. Até ontem estava o rastreamento do Roman Romancini.

• Até ontem, dia 17 de maio, já somavam 278 cumes no Everest na temporada 2018. Hoje passará facilmente dos 300 cumes. Estou estimando aproximadamente 600 cumes na temporada.

 
Foto tirada por Gilberto Thoen às 9:33 (00:48 Brasil). Parede do Lhotse, subida entre o Campo 3 e Campo 4.
 
Equipe da agência Madison Mountaineering chegando ao cume do Everest às 5h da manhã de hoje - 20:15 no horário de Brasília

07:45 Brasil - 16:30 Nepal | De volta

Roman Romancini está de volta ao Campo Base do Everest, depois de ter feito cume no último dia 16 de maio.

 
Roman Romancini de volta ao Campo Base do Everest. Foto: Rafael Duarte

08:30 Brasil - 17:15 Nepal | Campo 4

Ayesha Zangaro, Henrique Franke e o autraliano Paul Ling já chegaram ao Campo 4. Carlos Santalena está acompanhando Renato Zangaro e Joel Kriger acima do Esporão Genebra.

09:05 Brasil - 17:50 Nepal | Campo 4

Carlos Santalena e toda equipe da Grade6 estão no Campo 4 (8000m).

13:35 Brasil - 22:20 Nepal | Campo 4

Por enquanto sem movimentação no Campo 4. Assim que começar o ataque ao cume abrirei um novo dia de Cobertura, para centralizar tudo o que acontecerá no ataque ao cume do dia 19, no horário do Nepal.

13:52 Brasil - 22:37 Nepal | Dormindo na Zona da Morte

Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Joel Kriger não farão o ataque ao cume hoje. Decidiram descansar uma noite no Campo 4 (8000m), região conhecida como a Zona da Morte. Amanhã por volta das 21h devem iniciar o Ataque ao Cume.

Da equipe da Grade6, apenas o brasileiro Henrique Franke e o australiano Paul Ling partiram para o ataque ao cume às 22h. Etsaremos acompanhando os dois. Amanhã, a partir das 13h faremos a toda a Cobertura do Ataque ao Cume do Everest do Carlão e equipe.

 
Henrique Franke partiu para o Ataque ao Cume. Carlos, Ayesha, Renato e Joel farão o ataque ao cume amanhã, às 13h no horário de Brasília.
 

17.05.2018 - 04:20 Nepal | 19:35 Brasil

Mais uma brasileira

  Elias Luiz  

Acabei de descobrir que tem mais uma brasileira escalando o Everest. É uma conhecida nossa, a Fatima Williamson, de 55 anos, que está em busca de finalizar o seu projeto dos 7 Cumes. Em 2014 Fatima estava prestes a bater o recorde brasileiro dos 7 Cumes, só restava a escalada do Everest, que infelizmente foi cancelada depois da avalanche que matou 16 sherpas na Cascata de Gelo.

Em 2015 Fatima Williamson estava no Campo 2 (6400m) quando aconteceu o terremoto e a avlanche que matou 19 pessoas no Campo Base do Everest. A temporada foi encerrada.

Em 2016 Fatima voltou ao Everest, e estava escalando bem, já havia realizado o 2º Ciclo de Aclimatação e o próximo seria o Ciclo de Cume, mas contraiu uma infecção respiratória e teve que desistir.

Ela voltou para realizar o seu sonho de escalar o Everest, mas desta vez está escalando pela Face Norte, no Tibet, com a agência Alpenglow. Exatamente a agência que relatei ontem que teve problemas com o regulador da máscara de oxigênio de praticamente todos os integrantes. Os que não falharam acabaram sendo compartilhado com os outros um pouco de oxigênio e a única saída foi de abandonar o Ataque ao Cume. Todos retornaram em segurança ao Campo Base Avançado.

Adrian Ballinger, diretor da agência Alpenglow disse que ficou bastante chocado com as falhas ocorridas nos reguladores das máscaras de oxigênio da marca Summit Oxygen (SO). O regulador controla o fluxo de oxigênio entre a garrafa e a máscara. Se ele falhar, não há oxigênio na máscara. Adrian disse que usa as máscaras da Summit Oxygen há 6 anos e nunca teve problemas, ele acredita que seja um problema ocorrido em um lote específico. O problema com os reguladores ocrreram entre 7700m e 8300m.

A Summit Oxygen tem um sistema revolucionário, onde a regulagem para aumentar ou diminuir o fluxo de oxigênio é feito por um regulador pelo próprio alpinista. Como mostra no peito do boneco da imagem abaixo. Nos outros sistemas, é preciso que uma outra pessoa faça essa regulagem para você, durante a escalada, pois o regulador é fixo na boca do cilindro de oxigênio, que fica na mochila, nas suas costas.

Estou checando se a equipe terá condições de uma nova tentativa de cume e logo informarei. Agora são 9 brasileiros escalando o Everest em 2018. Recorde!

Fatima Williamson na Face Norte com o Everest ao fundo.   O sistema revolucionário do regulador da máscara de oxigênio da Summit Oxygen.
     

22:05 Brasil - 06:50 Nepal | Momento de reflexão

Adrian Ballinger, diretor da agência Alpenglow acaba de informar que a expedição está encerrada.

“A equipe decidiu contra fazer outra tentativa cume. O enorme esforço que foi preciso para chegar a 8.500m consumiu todas as reservas do corpo. Na comunidade de escalada, é bem sabido que a exaustão gera acidentes, assim, no interesse da segurança, a equipe decidiu arrumar suas botas de escalada e encerrar a temporada.”

Adrian Ballinger

É difícil explicar o que estou sentindo por essa decisão. Não a decisão em si, que na verdade está correta. Lógico que sempre em um grupo heterogêneo, há aquelas pessoas que subir novamente seria tranquilo, mas para outras pessoas o risco seria grande.

A minha tristeza é que pela quarta vez (2014, 2015, 2016 e 2018) a Fatima Williamson não conseguiu realizar o seu sonho. E existem alguns sonhos que teimam em ser realizados. Não sei o motivo, pode ter um motivo superior nisso. Mas torço para que ela realize o mais breve possível, para que possa seguir a vida em frente, e buscar novos sonhos e desfrutar da paz da conquista.

Por outro lado as dificuldades nos tornam mais resilientes e nos preparam para dias piores. Acho que o momento é de refletir, de meditar, de tirar um tempo de paz e de transformar tudo isso em energias boas e seguir a vida, seja no próximo ano ao cume do Everest, seja em paz com a família.

Meu apreço a você por esse momento onde as batalhas internas são maiores que a batalha de escalar o Everest sem oxigênio.

10:30 Brasil - 21:30 Tibet | Com a palavra, Fatima!

“Oi Elias, está tudo bem considerando o que passamos ontem. Nós chegamos no Second Step (8686m) quando os nossos reguladores de oxigênio começaram a funcionar mal. Ao todo 13 pararam de funcionar de repente e tivemos que descer. Estávamos na zona da morte e sem oxigênio, morreríamos. Uma descida muita rápida, frenética mais ninguém se machucou. Uma pena mesmo porque estávamos tão perto do cume e o time tava escalando forte e em boa velocidade. Nós não tentaremos de novo, seria necessário muita organização e trazer oxigênio de Kathmandu. E não teríamos garantia que o tempo ia cooperar quando estivéssemos prontos. Muito dinheiro e ariscado. Resolvemos partir. Amanhã decemos para o Campo Base e depois para Lhasa e home.”

Fatima Williamson, direto do Campo Base Avançado do Everest, no Tibet

16.05.2018 - 00:35 Nepal | 15:50 Brasil

Hoje sim!

  Elias Luiz  

Mudanças de planos... Roman Romancini iniciou o Ataque ao Cume, está subindo em direção ao Balcony.

16:35 Brasil - 01:20 Nepal | Na fila

É estimado que hoje aproximadamente 100 montanhistas e sherpas estejam fazendo o ataque ao cume. A escalada será mais fácil para quem iníciou o ataque mais cedo. Conforme o tempo passa, mais montanhistas estarão clipados na corda e é comum os mais lentos atrasarem os que vem atrás. Em poucos trechos é possível se desclipar da corda e ultrapassar, mas para isso correrá riscos, e qualquer escorregão ou tropecho, é morte na nos abismos que cercam a crista por onde estão subindo.

17:30 Brasil - 02:15 Nepal | Chegando ao Balcony

A escalada é feita durante a madrugada e chegam ao cume logo após o amanhecer, isso para os montanhistas que estão na dianteira. A temperatura no momento é de aproximadamente -20ºC, nesta altitude, isso se não estiver ventando muito.

O Balcony (8.380m) é o primeiro grande ponto de referência, onde algumas vezes eles param para descansar alguns minutos. Também é no Balcony que os Sherpas fazem o estoque de cilindros de oxigênio, e o montanhista realiza a primeira troca de cilindro. Normalmente fica outro cilindro de reserva para caso seja necessário na descida.

O SPOT do Roman Romancini está disparando sinais com os horários de Brasília. Acredito que ele esqueceu de alterar na configuração no site. Ele deve ter configurado o SPOT para enviar sinais a cada 10 minutos. As vezes acontece dos satélites não captarem o sinal e o intervalo fica maior.

 
Roman Romancini está fazendo o Ataque ao Cume do Everest.

18:30 Brasil - 03:15 Nepal | Um pouco mais sobre Roman Romancini

Em 2011, 40 dias antes de Roman Romancini embarcar para a sua primeira expedição ao Everest, ele foi atropelado enquanto treinava de bicicleta. Passou 6 meses sem andar e 2 anos de recuperação.

Em 2014, Roman estava no Campo Base do Everest se preparando para o seu 1º Ciclo de Aclimatação, quando a temporada foi cancelada devido a avalanche na Cascata de Gelo que matou 16 Sherpas.

Mais recentemente Roman enfrentou um câncer na garganta.

Roman acaba de chegar no Balcony.

Roman Romancini chegou ao Balcony.

19:30 Brasil - 04:15 Nepal | 63+ cumes na temporada

Até o momento na temporada 2018, já tivemos mais de 62 cumes. No placar, abaixo da foto principal da cobertura, você pode acompanhar a progressão de cumes e de mortes. Sempre que coloco um sinal de +, significa que sei que houve mais cumes, mas ainda não foram oficializados. Até o momento foram 62+. Nestes próximos dias esse número deve aumentar bastante. É estimado aproximadamente 600 cumes nta temporada.

Faz quase uma hora que não recebemos sinal do SPOT do Roman. Sabemos que a pilha está boa, pois fica registrado no sinal. Acredito que ele deve estar no Balcony ou um pouco acima. A temperatura é de -26ºC e com vento de 30 km/h.

20:30 Brasil - 05:15 Nepal | O Sol

Esse é um dos momentos mais aguardados os alpinistas. Às 5h12 o sol nasceu, e com ele vem a claridade que facilita na escalada e principalmente o calor, que dá mais ânimo para continuar subindo. Se o tempo estive limpo, esta será uma das cenas mais bonitas da escalada, quando o Everest faz sombra uma sombra piramidal nas montanhas abaixo.

• Acabei de conversar com a Lyss Zangaro, que está no Campo Base, ela é a esposa do Renato Zangaro e mãe da Ayesha Zangaro. Ela informou que os dois estão bem e hoje o dia será de descanso no Campo 2 e amanhã sobem para o Campo 3.

21:00 Brasil - 05:45 Nepal | Cilindros de Oxigênio

Acabei de conversar com o Cristiano Muller, o 16º brasileiro a chegar ao cume do Everest. Ele informou como foi o seu uso de cilindros de oxigênio no Everest, e este é o padrão para a maioria dos montanhistas.

1º Cilindro de O2: dorme no Campo 3 e até o Campo 4 - 1 litro/min.
2º Cilindro de O2: do Campo 4 até o Balcony - 3 litros/min.
3º Cilindro de O2: do Balcony ao cume e ao Campo 4 - 3 litros/min.
4º Cilindro, de emergência: guardado no Balcony (8380m)


Quer saber mais sobre o assunto? Ouça o excelente podcast que gravei com o Cristiano Muller sobre o seu Ciclo de Cume em 2016.

 
Download do Podcast 122

21:30 Brasil - 06:15 Nepal | Roman

Roman Romancini ainda tem pelo menos 4 ou 5 horas de escalada até o cume.

Roman Romancini rumo ao cume do Everest.

22:30 Brasil - 07:15 Nepal | Desaparecido

Chega a informação que tem um Sherpa desaparecido desde ontem próximo ao Cume Sul, onde havia feito o último contato. Os Sherpas que estão subindo hoje devem fazer uma busca pelo Sherpa desaparecido.

• Um oficial de ligação informou que as más condições metereológicas está dificultando o cume dos montanhistas hoje.

Há informação que o clima não está bom acima dos 8000m, o que está dificultando o Ataque ao Cume.

23:40 Brasil - 08:25 Nepal | Previsão otimista

Em uma previsão otimista, ainda restam 3 horas de escalada para o Roman Romancini. Lembrando que o indicado é um cume as 7h da manhã, mas chegando até às 10 horas, ainda é um bom horário.

Pede-se que quem está escalando e a sua previsão de chegada ao cume seja depois do meio-dia, a decisão mais sensata é dar meia volta e desistir do cume. Roman Romancini em uma previsão otimista deve chegar ao cume às 11h15 da manhã (horário Nepal). Mas lembrando que em 2016, Thaís Pegoraro fez uma escalada muito lenta e chegou ao cume às 12h00.

00:45 Brasil - 08:30 Nepal | Helicópteros

• André Freitas e Gilberto Thoen informaram que há muita movimentação de helicópteros em direção ao Campo 2. Algo não está indo bem nos acampamentos altos. Nada é falado no Campo Base, os guias não repassam o que está acontecendo exatamente para não abalar o psicológico dos montanhistas, que devem seguir para o Ciclo de Cume nos próximos dias.

• No Campo Base o tempo está limpo e quente, 18ºC. No Everest há um pouco de nuvens.

• Aparentemente Roman Romancini está progredindo bem e sem problemas, tem um ritmo um pouco mais lento que o normal, mas tudo dentro do esperado para um ataque ao cume.

• Várias máscaras de oxigênio da marca Summit Oxygen (SO) falharam. A equipe Alpenglow dispunha de 39 máscaras com reguladores SO e 10 falharam, eles estavam a 8.500m na Face Norte e foram obrigados a dar meia volta e desistir do cume. O chefe da equipe, Adrian Ballinger, disse que há 6 anos utiliza essas máscaras e nunca teve problemas. Provavelmente tenha sido algum lote com defeitos.

02:05 Brasil - 10:50 Nepal | Cume Sul

• Roman Romancini está no Cume Sul (8686m). Falta pouco.

No Cume Sul, falta pouco.

02:50 Brasil - 11:35 Nepal | Ééééé Cuuummmeee

• Éééééé Cuuummmmeeeee!!! Roman Romancini chegou ao cume do Everest. Em breve mais detalhes.

Éééééé Cuuummmeeeeee

03:20 Brasil - 12:05 Nepal | O 18º brasileiro

Confirmando o horário, Roman Romancini chegou ao cume às 11:30. Ele é o 18º brasileiro a chegar ao cume do Everest. Parabéns!

03:35 Brasil - 12:20 Nepal | Agora é descer

Depois de 13 horas de escalada desde o Campo 4 (8000m), Roman Romancini chegou ao cume do Everest. Ele já começou a descer de volta para o Campo 4, e deve demorar aproximadamente 6 horas para chegar.

Obrigado a todos que acompanharam a cobertura até aqui!

Toda a vez que um brasileiro conquista um grande feito, o Extremos coloca essa música que é o nosso Tema da Conquista. Hoje essa homenagem vai para o Roman Romancini.

 
TEMA DA CONQUISTA - Maestro: Burkhard Dallwitz | Música: Tibet | Álbum: The Way Back Soundtrack

08:00 Brasil - 16:45 Nepal | Descendo e recordes

• Roman Romancini já está no Campo 4, onde deve dormir esta noite.
• Kami Rita Sherpa chegou ao cume do Everest e se isolou com novo recorde de 22 cumes.
• Novo recorde feminino, Ani Lhakpa Sherpa chega ao seu 9º cume pela Face Norte do Everest. Ela quebrou o seu próprio recorde.

13:50 Brasil - 22:55 Nepal | Cumes de hoje e morte

• Pela Face Sul, hoje, chegaram ao cume 94 pessoas (41 extrangeiros e 53 Sherpas). Podemos considerar como um dia um pouco agitado. Mas já tivemos dias com aproximadamente 200 pessoas chegando ao cume, em 2016.

• Amanhã, Carlos Santalena e equipe partem para o Campo 3 (7200m).

• Amanhã, Gilberto Thoen e André Freitas sobem para o Campo 2 (6400m).

• Como já havia informado durante a cobertura do Ataque ao Cume de hoje, agora é oficial, Lam Babu Sherpa morador de Kurima no Solukhambu, morreu próximo ao Cume Sul. Ainda não é certa a causa da morte, mas ele sofria de cegueira da neve. Ele estava desaparecido desde o dia 14 de maio. Essa é a primeira morte da temporada de escalada do Everest em 2018. Nossos sentimentos aos familiares.

 

Gilberto Thoen (de vermelho) junto com sua equipe, prontos para o Ciclo de Cume que começa amanhã.
 

15.05.2018 - 00:50 Brasil | 09:35 Nepal

Brasileiros subindo

  Elias Luiz  

Neste momento tem 5 brasileiros subindo a Cascata de Gelo rumo ao Campo 2. Este é o início de Ciclo de Cume de Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro, Joel Kriger e Henrique Franke. A subida até o Campo 2 é estimada em mais ou menos 8 horas.

• Roman Romancine ainda está no Campo 3, a qualquer momento ele deve começar a sua subida para o Campo 4.

• André Freitas subirá no dia 17 de maio.

• Gilberto Thoen também está no Campo Base aguardando a definição de sua equipe.

22:30 Brasil - 07:15 Nepal | Cume na Face Norte

A equipe chinesa de Sherpas chegou ao cume na Face Norte do Everest, no Tibet.

23:30 Brasil - 08:15 Nepal | Roman Romancini

Roman Romancini começou saiu do Campo 3 (7200m) por volta das 8h da manhã. A escalada até o Campo 4 (8000m) deve demorar aproximadamente 5 horas.

07:05 Brasil - 15:50 Nepal | Campo 2

Carlos Santalena e equipe já estão no Campo 2 (6400m). Amanhã eles devem tirar um dia de descanso e no dia 17 sobem para o Campo 3 (7200m). Dia 18 Campo 4 (8000m) e Cume na manhã do dia 19.

09:15 Brasil - 18:00 Nepal | Campo 4

Roman Romancini já está no Campo 4 (8000m). Caso os dados de GPS do seu SPOT tenham sido registrado corretamente, é bem povável que a subida dele foi lenta, e o motivo deve ser ventos fortes acima da Franja Amarela.

12:35 Brasil - 21:20 Nepal | Lentidão

O progresso da escalada de hoje de Roman Romancini do Campo 3 para o Campo 4, foi bem lenta (de acordo com o sinal do SPOT), logo imaginei que poderia ser ventos fortes acima da Franja Amarela (Yellow Band). Mas o tempo estava bom e quente durante a subida. O que ocasionou a lentidão, provavelmente foi a quantidade de alpinistas que estavam subindo, tentando aproveitar a primeira janela de bom tempo da temporada.

É bem provável que Roman não fará o ataque ao cume hoje. Deve descansar um dia no Campo 4 e amanhã parte para o cume. Karina Oliani utilizou desta mesma tática em 2013, mas para passar um dia no Campo 4, é necessário usar mais cilindros de oxigênio do que estava planejado. Normalmente as agências tem alguns cilindros extras ou terão que providenciar.

14:00 Brasil - 22:45 Nepal | Hoje não

Como previsto, Roman Romancini deixou para fazer o Ataque ao Cume amanhã. Ele vai dormir hoje no Campo 4 (8000m) e amanhã a noite, entre 20h a 21h, deve iniciar a escalada ao cume.

14:45 Brasil - 23:30 Nepal | Filme

Ele escalou o Everest 21 vezes, mais do que qualquer outro ser humano. Mas ele não desejaria isso para ninguém. Quando criança, crescendo no remoto vale de Khumbu, no Nepal, Apa Sherpa tinha que caminhar três horas até a escola. Ele sonhava em ser médico. Mas depois que seu pai faleceu, aos 12 anos, ele conseguiu um emprego como porteador para sustentar sua família. Apa, que significa "Amado por todos", se tornaria um dos mais famosos Sherpas de altitude do mundo. Siga-nos enquanto documentamos as lutas atuais de Pemba Sherpa, um jovem que tem um caminho de vida que espelha Apa quando ele era criança, e o trabalho da Fundação Apa Sherpa, que visa dar às crianças do Nepal rural novas oportunidades. A atração do Monte Everest é grande no Khumbu, mas o poder da educação pode ser ainda maior. O lançamento do filme será no canal Sherpas Cinema no Vimeo, dia 28 de maio de 2018. Assista o trailer do filme!

Assista o trailer do filme: Loved by All
 

14.05.2018 - 22:30 Brasil | 07:15 Nepal

SPOT Gen3

  Elias Luiz  

O SPOT Gen3 de Roman Romancini mostra que ele começou a sua escalada rumo ao Campo 3 (7200m). Fique ligado, a programação do seu ataque ao cume é a seguinte:

Dia 13 - Campo 3 (7200m)
Dia 14 - Às 13h no Campo 4, dorme e às 21h Ataque ao Cume
Dia 15 - Cume até as 10h (2h da manhã no Brasil)

22:35 Brasil - 07:20 Nepal | Recorde nos 7 Cumes

• Sábado 13 dezembro de 2014, o australiano Steve Plain foi levado para o hospital com múltiplas fraturas instáveis nas vértebras C2, C3 e C7, medula espinhal contorcida, ruptura de disco, artérias dissecadas, ligamentos rompidos... a lista continuava. Em termos leigos, ele estava com o pescoço quebrado depois de uma queda em uma onda na praia de Cottesloe, no Oeste da Austrália. Os médicos disseram que ele teve muita sorte de estar vivo, mas não tinham certeza se ele voltaria a andar. Com esse desafio em mente, Steve partiu para a fisioterapia e traçou uma meta. Bater o recorde mundial da escalada do Projeto dos Sete Cumes, que até aquele momento o era de 126 dias.

Às 6h da manhã de hoje, 14 de maio, Steve Plain chegou ao cume do Everest acompanhado do seu guia Jon Gupta e do Pemba Sherpa, tornando-se assim os primeiros estrangeiros no topo do mundo em 2018. Neste comento ele está completando 117 dias do seu projeto, mas só irá finalizar quando ele chegar ao Campo Base, onde deve chegar em 2 ou 3 dias e assim bater o Recorde com 120 dias, contras os 126 dias do recorde anterior.

As montanhas que fazem parte dos 7 Cumes são:

- Everest (8848 m), entre o Nepal e o Tibet, na Ásia
- Aconcágua (6962 m), na Argentina, América do Sul
- Denali (6194 m), no Alasca, América do Norte
- Kilimanjaro (5891 m), na Tanzânia, África
- Elbrus (5642 m), na Rússia, Europa
- Vinson (4892 m), na Antártica
- Carstensz (4884 m), em Papua, Oceania

06:40 Brasil - 15:25 Nepal | Campo 3 e Cumes

• Roman Romancini está no Capo 3, onde irá dormir está noite e amanhã cedo subirá para o Campo 4.

• Mais cume são relatados na manhã do dia 14 de maio. Integrantes das agências Madison Mountaineering, Seven Summits Treks, Imagine Climb e uma equipe de chineses juntamente com seus Sherpas chegaram ao cume do Everest.

07:00 Brasil - 15:45 Nepal | Duplo amputado

• Um montanhista chinês, que perdeu as duas pernas devido ao congelamento em 1975 durante a sua primeira tentativa de chegar ao cume do Monte Everest, tornou-se hoje o primeiro alpinista duplo amputado a chegar ao cume do Everest pela face sul, Nepal. Xia Boyu (70 anos) chegou ao cume do Everest às 7:30 da manhã acompanhado do seu Sherpa, essa era a quinta tentativa de escalar o Everest de Xia Boyu. Mark Inglis, um alpinista duplo amputado da Nova Zelândia, havia escalado o Everest pelo lado Tibet em 2006.

Xia Boyu (70 anos). Imagem de arquivo
 

10:15 Brasil - 19:00 Nepal | Santalena e equipe

• Boas notícias! Carlos Santalena e toda sua equipe partem amanhã cedo para o Campo 2. O cume é previsto para o dia 19 ou 20 d emaio. A equipe é composta por: Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro, Joel Kriger, Henrique Franke e o australiano Paul Ling.

13.05.2018 - 20:50 Brasil | 05:35 Nepal

Com a faca nos dentes | Cume

  Elias Luiz  

Roman Romancini sabe que tem uma chance real de chegar ao topo do mundo, aos 8.848 metros do monte Everest, por isso ele já está no Campo 2, a espera da primeira oportunidade. Essas oportunidades poucas pessoas tem na vida. Ele teve essa oportunidade tirada de suas mãos em 2014, antes mesmo de tentar, antes mesmo de fazer o primeiro Ciclo de Aclimatação, quando a temporada foi cancelada devido a avalanche na Cascata de Gelo que matou 16 Sherpas. Ele estava lá!

Não foi a primeira vez que teve uma oportunidade perdida de escalar o Everest. Em 2011, 40 dias antes de embarcar para o Everest, foi atropelado enquanto treinava de bicicleta. Passou 6 meses sem andar e 2 anos de recuperação. Mais recentemente enfrentou um câncer na garganta.

Por essas e outras, Roman Romancini está com a faca nos dentes, mas sem perder o foco no objetivo e nos perigos que o cercam. Este domingo será de descanso no Campo 2, onde irá avaliar se realmente sai para o ataque ao cume na segunda-feira de manhã, rumo ao Campo 3 (7200m).

Alguns feitos de Roman Romancini:
- Escalada Invernal do Aconcágua (2004)
- Chegou a 20 metros do cume do Denali (2007)
- 1º brasileiro a escalar o Ama Dablam (2008)
- Acampamento destruido por uma avalanche no Shishapangma (2010)
- Escalada Invernal do Kilimanjaro (2015)
- Escalada Invernal do Elbrus (2016)
- Escalada Invernal do Carstensz (2017)

06:50 Brasil - 15:35 Nepal | Cume Sul

Uma equipe de oito Sherpas chegaram com as cordas fixas até o Cume Sul (8686m) às 8h da manhã, no horário local. É esperado que ainda hoje cheguem ao cume do Everest, se o tempo permitir. Em breve darei mais notícias!

07:02 Brasil - 15:42 Nepal | Cume

NOTÍCIA EM PRIMEIRA MÃO - Oito Sherpas escaladores chegaram com as cordas fixas ao cume do Mt. Everest, às 15:30 deste domingo 13 de maio de 2018. São os primeiros no topo do mundo na temporada 2018. São eles:
1. Sr. Pasang Tenjing Sherpa
2. Sr. Pasdawa Sherpa
3. Sr. Lakpa Dendi Sherpa
4. Sr. Jen Jen Lama
5. Sr. Siddi Bahadur Tamang
6. Sr. Pemba Chhiri Sherpa
7. Mr. Tenzing Gyaljen Sherpa
8. Mr. Datuk Bhote

Está aberta a temporada de Ataque ao Cume.

 
Está aberta a temporada de Ataque ao Cume. Às 15h30 deste dia 13 de maio de 2018, oito sherpas chegaram ao cume do Everest.
 

12.05.2018 - 07:45 Brasil | 16:30 Nepal

Roman Romancini no Ciclo de Cume

  Elias Luiz  

Roman Romancini é o primeiro brasileiro na temporada a dar início ao Ciclo de Cume. Neste momento, como mostra o seu SPOT GEN3, ele já está no Campo 2 (6400m). No domingo ele descansa. Na segunda-feira sobe para o Campo 3 (7200m). Na terça-feira sobe ao Campo 4 (8000m) e às 21h sai para o Ataque ao Cume, onde deve chegar na manhã da quarta-feira no Nepal (madrugada de terça para quarta-feira no Brasil). Ele chegará ao cume na manhã do dia 16. Esse é o plano até o momento.

• O jetstream está deixando o cume do Everest, os ventos começam a diminuir e os Sherpas já estão se preparando para iniciar a instalação das cordas acima dos 8.000m. A equipe da Jagged Globe já está no Campo 2 e devem avaliar se terão mais um dia de descanso ou se iniciarão o ataca ao cume, subindo hoje para o Campo 3. Muitas equipes estão se programando para subirem do Campo Base para o Campo 2 nos próximos dias.

Apesar da saída do Jetstream, a velocidade do vento acima dos 8.000 metros é de 20 a 30 km/h, o que aumenta e muito o risco de congelamento, pois a sensação térmica deve cair para -25ºC. Espera-se que de 17 a 19 de maio sejam os melhores dias para a primeira janela de cume.

Os Sherpas das principais agências estão mantendo em segredo o dia do ataque ao cume. Normalmente são essas grandes agências que detém as melhores atualizações da previsão do tempo somado com a movimentação da equipe de Sherpas que estão instalando as cordas. Eles sabem que se divulgarem as suas datas, as agências menores virão no encalso, o que sempre ocasiona em um fluxo maior de escaladores e sherpas na trilha.

• Já ouviu o 4º Podcast da temporada do Everest? Está logo acima.

O Hospital Everet+ER que fica no Campo Base, já realizou 300 consultas. Lembrando que aproximadamente 1.000 pessoas vivem no Campo Base durante a Primavera:

• 265 homens e 35 mulheres
• 163 Nepal, 56 EUA, 16 Canadá, 16 China, 11 Inglatera entre outros
• 127 alpinistas, 123 Climb Sherpas, 23 cozinheiros, 10 trekkers, 7 guias
• 67 URTI, 51 HAC, 27 MSK, 21 gastroenterite
• 2 HACE, 6 HAPE, 7 AMS, 11 congelamentos

10:35 Brasil - 19:20 Nepal | Flashes

• Gilberto Thoen enviou um vídeo onde mostra que o Campo Base está sofrendo com fortes ventos. É possível que nos Campos altos esteja igual ou pior.

• Como está ventando muito acima dos 8.000m, os Sherpas que já haviam fixado as cordas até o Balcony (8380m) ontem, hoje eles irão "descansar" no Campo 4 e amanhã devem tentar fazer a instalação das cordas até o cume. Abrindo assim a temporada de "Ataque ao Cume" do Everest.

12:25 Brasil - 21:10 Nepal | André Freitas

• André Freitas continua em Namche Bazaar. Amanhã ele retorna para o Campo Base e provavelmente no dia 15 começa o seu Ciclo de Cume, subindo para o Campo 2.

“Oi Elias! Os Sherpas continuam no Colo Sul, o vento diminuiu bastante, a previsão é que amanhã cedo [dia 13] eles recomecem os trabalhos, e se o vento der trégua, querem terminar amanhã [até cume]. Aqui no Base não está tão frio, esta mais quente um pouco, o céu também não está estrelado como de costume. Amanhã te passo mais informações, estamos no aguardo, nossos Sherpas foram até no Campo 4 hoje.”

Gilberto Thoen, direto do campo base do Everest

 
As cordas fixas já foram instaladas até o Balcony. Acompanhe nesta imagem a linha amarela (as cordas) até o Balcony. Atualizarei essa imagem assim que as cordas fixas tiverem mais progressão. Se o tempo se manter favorável, é possível que os Sherpas cheguem ao cume do Everest hoje (12) ou amanhã (13).
Sherpas da IMG subindo a parede do Lhotse rumo ao Campo 3 (7200m). Céu limpo!
Equipe da IMG no Campo 3 e outros Sherpas tentando chegar ao Colo Sul, no Campo 4 a quase 8.000m. É vísivel como acima da Franja Amarela o vento ainda estava forte.
 

11.05.2018 - 11:40 Brasil | 20:25 Nepal

Queda na greta

A travessia de uma greta entre o Campo 1 e 2. Tudo ficou bem no final. Assista em HD.
 

10.05.2018 - 00:15 Brasil | 09:00 Nepal

Chuva, raios e trovões

  Elias Luiz  

Algo inusitado aconteceu no Campo Base e no Campo 1. Raios, trovões e chuva... algo que não se via há mais de 10 anos. O clima no Campo 2, 3 e 4 também não estava nada bom, com muito vento e whiteout (neblina onde tudo fica branco). O que acabou segurando os sherpas no Campo 2 até ontem. Hoje eles devem começar a subir para abastecerem os acampamentos altos (3 e 4).

• A IMG prevê o ínicio do Ciclo de Cume no dia 15 de maio. A Mountain Professionals está prevendo cumes entre os dias 13 a 18.

• O atraso na instalação das cordas até o cume acabou deixando todas as equipes prontas para o Ciclo de Cume. Estão todos prontos e na espera. Assim que as cordas passaram dos 8.500 metros, as equipes começarão a subir para o Campo 2, aguardando o momento de ataque ao cume dos Sherpas, para eles iniciarem o ataque ao cume, subindo para o Campo 3, onde irão dormir uma noite, pela manhã sobem para o Campo 4, onde chegam no início da tarde e dormem até às 20h, quando se levantam e iniciam o ataque ao cume, escalando durante toda a madrugada e chegam ao cume por volta das 9h da manhã. Esse é o ciclo de cume.

• André Freitas desceu para descanso em Namche Bazaar.

• Conversando hoje com o Gilberto Thoen, que está no Campo Base, ele disse que terminou de ler o meu livro, Tour du Mont Blanc, Em Busca de Emelie. Disse que gostou muito e que a página 125 da 1ª ediçã0 (ou página 118 da 2ª edição) mexeu com ele. É onde eu falo sobre o "Summit Fever" - a febre do cume -, que é o que acontece quando os alpinistas que estão fazendo o ataque ao cume, e já estão bem próximos mas com pouca energia. Normalmente neste momento o seu guia ou o seu Sherpa pede para ele desistir do cume e descer. Mas para o alpinistas que gastou muito tempo e dinheiro, chegar tão perto e desistir é doloroso e ele sabe que tem energia para chegar ao cume, e por isso normalmente não desistem. Mas esquecem que o cume é apenas a metade do caminho da escalada. Ainda restam pelo menos mais umas seis horas para voltar para o Campo 4 e mais algumas horas para descer para o Campo 3 ou 2, que seria o ideal. A maioria das mortes do Everest é na descida do cume, quando muitos estão sem energia para continuarem descendo, e normalmente morrem ou por exaustão ou por queda.

• A temporada está muito tranquila até o momento. Não aconteceu nenhuma morte e nenhum grande acidente. Apenas as cordas estão um pouco atrasadas. Lembrando que no ano passado as cordas chegaram ao cume no dia 15 de maio, o que foi considerado um pouco tarde. Em 201,1 quando Carlos Santalena e Carlos Canellas chegaram ao cume pela primeira vez, eles chegaram junto com os Sherpas, no dia 7 de maio.

• Hoje estava conversando com o meu amigo Rosier Alexandre, o 15º brasileiro a chegar ao topo do mundo. Falávamos da tática da agência IMG, que na volta de cada Ciclo de Aclimatação (1 e 2) levou os seus alpinistas de helicóptero para descanso em Namche Bazaar. O normal até hoje era eles baixarem para Namche após o 2º Ciclo. A ideia de voltar a cada ciclo é muito boa, assim faz a recuperação de energias, musculatura e o psicológico aumentarem muito. Além de todo o conforto de dormir em uma cama, um banho quente e uma comida diferente e mais saudável. Com certeza é um custo a mais, mas pode ajudar na reta final. Não quero dizer que os alpinistas que ficam no Campo Base terão menos chances de cume, pelo contrário, a dureza do Campo Base ajuda os alpinistas a manterem o foco na reta final da expedição. Coisas que Namche Bazaar pode tirar um pouco do foco. Tudo depente de cada alpinista.

 

CAMPO 2 (6400m). Depois do Campo Base, esse é o principal acampamento, em estrutura. Os Campo 3 e 4 são muito menores e menos abastecidos, apenas com o necessário!
A parede do Lhotse onde eles sobem para o Campo 3 está bem a esquerda da foto.
Henrique, Gilberto, Carlos, Lyss, Ayesha e Renato.   Relógio do Carlos Santalena mostrando a subida do Campo Base para o Campo 3.
Joel Kriger mostrando um pouco do que eles comem no Campo Base.   O Campo Base é o lugar melhor abastecido entre todos os outros Acampamentos.
Cuscuz Marroquino.   Coalhada, maçã e romã... saiu alguma sobremesa gostosa esse dia!
     

07.05.2018 - 00:15 Brasil | 09:15 Nepal

Vento

  Elias Luiz  

Roman Romancini desceu junto com Rafael Duarte para um descanso em Pangboche (3.985m). Em altitudes mais baixas o corpo se recupera mais rápido dos desgastes ocasionados com a altitude. Alguns dias atrás ele chegou a 7.200m. Essa é uma técnica que foi aprimorada pelo russo Anatoli Boukreev, durante as suas escaladas sem uso de oxigênio suplementar.

Flashes

• Há informações de ventos com até 160 km/h acima dos 8.000m no Everest. É provável que as cordas fixas atrasem alguns dias para chegar ao cume.

• Houve uma avalanche no Lo Lha (montanha que encobre o Everest, olhando do Campo Base), chegando a atingir um pouco o Campo Base, mas apenas com o resto de uma névoa que se formou. Mais um dia comum no Everest.

• Os Sherpas estão estocando cilindros de oxigênio no Colo Sul (Campo 4 - 8.000m), já em preparação para o ataque ao cume.

Vídeo da avalanche que aconteceu nesta última sexta-feira, na face do Lo Lha e chegou ao campo base. Assista em HD.
 

03.05.2018 - 03:15 Brasil | 12:00 Nepal

Temporada tranquila

  Elias Luiz  

Carlos Santalena e equipe estão no Campo 3 (7200m). Gilberto Thoen também está no Campo 3. Roman Romancine já subiu ao Campo 3 e está de volta ao Campo 2. André Freitas chegou hoje ao Campo 2 e deve subir amanhã para o Campo 3.

A temporada está tranquila, sem tragédias e sem grandes acidentes. Esperamos que continue assim até o final. É fato que o uso de helicóptero para transportar as cordas e equipamentos que os Sherpas usam para equipar a via da parede do Lhotse até o cume do Everest, diminuiu e muito as passagens dos porteadores pela Cascata de Gelo, reduzindo assim o número de acidentes.

• Rafael Duarte e Lyss Zangaro continuam no Campo Base como apoio para Roman e Família Zangaro, respectivamente.

• Pemba Sherpa já completou o seu 2º Ciclo de Aclimatação, onde chegou até o Campo 3 e já está de volta ao Campo Base.

• Os Sherpas já instalaram as cordas fixas até o Campo 4 (8000m).

Carlos Santalena e Roman Romancini no Campo Base do Everest. Foto: Rafael Duarte   Manoel Morgado em visita a Rafael Duarte no Campo Base do Everest.
Gilberto Thoen mostrando a linha de alpinista mais a esquerda da foto, rumo ao Campo 3.   André Freitas com a equipe da IMG.
Pemba Sherpa e equipe de volta ao Campo Base. Fim do 2º Ciclo de Aclimatação.   Campo 3 (7200m). Foto: Team IMG
     

30.04.2018 - 06:51 Brasil | 15:36 Nepal

2º Ciclo de Aclimatação

  Elias Luiz  

Os brasileiros estão fazendo o 2º Ciclo de Aclimatação, a maioria subiu direto do Campo Base para o Campo 2 (6400m). O objetivo deste ciclo é dormir alguns dias no Campo 2 (6400m) e subir até o Campo 3 (7200m), onde a maioria deve dormir uma noite por lá, ou apenas "tocar" o Campo 3 e voltar para o Campo 2. Este é o último Ciclo Aclimatação, o próximo será o Ciclo de Cume.

Flashes

• Os Sherpas instalaram as cordas fixas até o Genebra Spur 7400m (Esporão Genebra), na Face Sul do Everest.

• Na Face Norte do Everest as cordas já estão fixadas até os 7800m.

• Alguns alpinistas fizeram os primeiros da temporada no Lhotse.

“Pai auxiliando a filha a cruzar greta na cascata do khumbu. Um com 60 anos e outra com 23. Uma experiência única acompanhar a família Zangaro nesta expedição. Mais do que espírito de equipe, espírito de família.”

Carlos Santalena, direto do Campo Base

Renato Zangaro dando suporte à filha, Ayesha Zangaro cruzar mais uma das gretas durante a escalada do Everest. Foto: Carlos Santalena
 

27.04.2018 - 10:45 Brasil | 19:30 Nepal

Fim do 1º Ciclo de Aclimatação

  Elias Luiz  

Roman Romancini está de volta ao campo base. Neste 1º Ciclo de Aclimatação ele chegou até o início da parede do Lhotse (6800m).

• Joel Kriger escalou o Lobuche East (6119m) como aclimatação e já chegou ao campo base do Everest.

• André Freitas em seu 1º Ciclo de Aclimtação chegou até a parede do Lhotse (6800m). Após a volta ao Campo Base (5350m), ele desceu para Namche Bazaar (3400m) para respirar melhor, como ele mesmo disse.

• Editando um novo podcast. Aguardem!

25.04.2018 - 06:30 Brasil | 15:15 Nepal

Colapso na Cascata de Gelo

Gilberto Thoen informou que houve um colapso na Cascata de Gelo. Blocos enormes de gelo se deslocaram a atingiram alguns Sherpas que ficaram feridos. Até o momento não há relatos de mortes. Os Doctors Falls já subiram para reparar a rota. Gilberto chegou ao campo base em segurança. Em breve mais informações e também colocarei no ar hoje o 2º Podcast da temporada.

Depoimento de Rosier Alexandre sobre a tragédia de 2015.
 

23.04.2018 - 06:15 Brasil | 15:00 Nepal

1º Ciclo de Aclimatação

  Elias Luiz  

Roman Romancini, Gilberto Thoen e André Freitas chegaram hoje ao Campo 1 (5900m).

Carlos Santalena, Ayesha, Renato e Henrique estão de volta ao Campo Base (5350m), finalizando o 1º Ciclo de Aclimatação. Essa é a nomenclatura que após anos de cobertura criei para simplificar o entendimento e a forma de apresentar o progresso dos alpinistas no Everest:

Carlos Santalena e equipe
1º CA: BC-1C1-6000-1C1-BC

• 1º CA: 1º Ciclo de Aclimatação
• BC-1C1: Carlos e equipe sairam do BC (Base Camp), chegaram no Campo 1 onde dormiram a primeira noite ("1"C1 - o número antes do C1 - Campo 1, indica quantas noites dormiram alí)
• 6000: No segundo dia eles subiram até o início do Western Cwn (6000m) e voltaram para o C1, onde dormiram mais uma noite
• No terceiro dia desceram para o Campo Base

Roman, Gilberto e André
1º CA: BC-C1...

• 1º CA: 1º Ciclo de Aclimatação
• BC-C1: Roman, Gilberto e André subiram do Base Camp para o Campo 1. Não há número antes do C1 porque eles ainda não domiram lá, ainda não é noite.
• ...: As reticências indicam que o Ciclo de Aclimatação ainda está em andamento.

22.04.2018 - 08:00 Brasil | 16:45 Nepal

Western Cwn

  Elias Luiz  

Carlos Santalena, Ayesha, Renato e Henrique "tocaram" o início do Western Cwn (6.000m) e voltaram para o Campo 1 (5.900m), para dormirem mais uma noite na altitude. Irei sempre utilizar o termo "tocar", que significa que durante o processo de aclimatação eles se utilizam do famoso "sobe alto, dorme baixo". Eles dormiram uma noite no Campo 1 e para melhorar a aclimatação, eles sobem mais alto, que foi o caso do Western Cwn e voltaram para dormir em uma região mais baixa, o Campo 1 (5.900m). O "tocar" significa que eles subiram até lá, descansaram um pouco e desceram.

O Western Cwn (Circo Oeste), é uma região larga e plana, é a bacia do glaciar ao pé do Lhotse. O nome foi dado pelo alpinista George Mallory, quando ele viu pela primeira vez na expedição de reconhecimento britânica, em 1921. Cwn em Galês significa "vale". A região central é cortada por fendas laterais que obrigam os alpinistas a passarem por essa região do Western Cwn pela lateral direita, beirando o Nuptse, local que é chamado de "Canto do Nuptse". É a partir deste ponto que pela primeira vez os alpinistas enxergam as encostas do Everest, acima dos 8.000 m, rumo ao Balcony e Cume Sul, local onde eles passarão somente no ataque ao cume, que deve acontecer na segunda semana de maio. O Western Cwn tem uma formação parecida com bacia, toda essa planice de neve, que sobe pelas suas laterais, acaba refletindo e amplificando a radiação solar, apesar da altitde de 6.000m do início, até os 6.800m do final do Western Cwn, é comum os alpinistas enfrentarem calor de até 35ºC em dias ensolarados e sem vento.

Flashes

• As cordas já foram instaladas pelos Sherpas até o Campo 3 (7.200m).

• André Freitas está no Campo 1 (5.900m).

• Joel Kriger está me Dingboche (4.530m).

• Foram emitidos 336 permits para a face sul do Everest (Nepal).

• Foram emitidos 150 permits (licença para escalar) para a face norte do Everest (Tibet).

• Calculando a população do Campo Base do Everest, na face sul: São 336 lincenças (alpinistas) e praticamente todos devem subir acompanhado um Sherpa. Mais as equipes de apoio de cada expedição, cozinheiros e porteadores, a população desta pequena cidade que é montada em cima do Glaciar do Khumbu, chega tranquilamenta a 750 pessoas.

• As fotos em preto e branco dos alpinistas na imagem principal da Cobertura Online, é para marcar o ponto mais alto que eles chegaram durante cada processo de aclimatação. As fotos coloridas são sempre onde eles estão no momento.

• O Nepal tem um fuso horário de + 8:45 em relação ao Brasil.

• Se você estiver acompanhando a Cobertura Online pelo celular ou tablet, você pode dar zoom na imagem principal cobertura para ver tudo com mais detalhes. A imagem sempre é salva com alta qualidade, podendo assim dar zoom e manter a definição. Para quem acompanha via coputador, a imagem é salva com qualidade para monitores de até 27".

GILBERTO THOEN lavando roupa no campo base.   As tarefas do dia a dia no campo base.
     

21.04.2018 - 17:18 Brasil | 02:03 Nepal - (atualizado)

Campo 1

  Elias Luiz  

Carlos Santalena e equipe já estão no Campo 1 (5.900m), dormem lá hoje e amanhã “tocam” o Campo 2 (6.400m) e voltam para dormir no Campo 1.

• Hoje foi aniversário da Lyss Zangaro, desta vez comemorando em pleno campo base, enquanto o marido e a filha escalam o Everest.

• Joel Kriger já está em Tengboche (3.867m).

• André Freitas fez uma rotação até o Football Field (5.600m) e já está de volta ao campo base.

Por do sol no campamento base do Everest. Foto: Rafael Duarte   ROMAN ROMANCINI e Rafael Campos no campo base do Everest.
Morando no campo base do Everest. Foto: Rafael Duarte   RAFAEL DUARTE no campo base do Everest.
Renato, Gilberto, Henrique, Ayesha, Santalena e Lyss no campo base do Everest.   GILBERTO THOEN durante filmagem de um documentário no campo base.
     

19.04.2018 - 01:15 Brasil | 10:00 Nepal

Editorial: Fora da curva

  Elias Luiz  

Reinhold Messner, Peter Habeler e sua equipe estão no Nepal para a comemoração do 40º aniversário de um dos marcos do montanhismo: a conquista do Everest sem o uso de oxigênio artificial, realizada por Messner e Habeler em 8 de maio de 1978. Um projeto que todos achavam impossível de ser realizado, inclusive os médicos da época.

A equipe oficial era composta por 12 pessoas, oito ainda estão vivos: Reinhold Messner, Peter Habeler, Wolfgang Nairz, Helmut Hagner, Hanns Schell, Robert Schauer, Raimund Margreiter e Oswald OLZ. Os quatros já falecidos: Horst Bergmann, Josl Knoll, Reinhard Karl e Franz Oppurg.

Quando Messner e Habeler conquistaram o cume do Everest sem o uso de oxigênio suplementar, eles mudaram a história do montanhismo. A partir de então, quem escalasse uma montanha acima dos 8.000m sem o uso de oxigênio suplementar, entrava para o rol dos montanhistas que tinham o bom estilo das montanhas. Até aquela data, 63 pessoas haviam escalado o Everest, todos usando cilindros de oxigênio. O Everest foi conquistado em 29 de maio de 1953, por Edmund Hillary e Tenzing Norgay, ambos usando cilindros de oxigênio.

Ultimamente menos de 5 alpinistas escalam o Everest sem o uso de oxigênio suplementar ao ano, contra mais de 600 conquistas anuais com o uso de oxigênio suplementar. Na minha opinião, e com a vivência dos 13 anos de cobertura das temporadas do Everest, quem escala o Everest sem o uso de oxigênio suplementar, são os escaladores profissionais e excepcionais, são os que estão fora da curva e que dedicam a vida à isso. O problema é que quem não escala, quer que todos os escaladores sejam como Messner. Como se fosse possível todo jogador ser um Pelé ou Messi, ou todo piloto ser um Ayrton Senna ou um Manuel Fangio. Temos que enaltecer os feitos dos grandes escaladores. Viva o montanhismo, viva esses grandes escaladores que deixaram a sua marca na história!

Flashes

• Joel Kriger já está em Namche Bazaar

“Cheguei a Katmandu com grande atraso (6 horas e mais de uma hora esperando as malas), chegando no Hotel apenas com o tempo para um banho e se preparar para às 5h da manhã sair para o Aeroporto, incrivelmente saiu no horário. Às 7:15 já estava em Lukla, para iniciar a caminhada para Namche Bazaar, sai somente às 10h e chegamos em Namche (20 km e 6 horas e 40 minutos de caminhada), janta e cama. Hoje saímos para aclimatação até o Hotel Everest View e depois Khumjung, Kundhe e subimos até 4.050 metros e voltei para descanso [em Namche]. Amanhã irei para Tengboche (neste caminho mais rápido para o campo base estou com Paul Ling um amigo da Austrália, que também vai escalar).”

Joel Kriger, direto de Namche Bazaar

REINHOLD MESSNER e Wolfgang Nairz em visita ao campo base do Everest no dia 16 de abril de 2018.



  (Da esquerda) Oswald OLZ, Peter Habeler, Reinhold Messner, Dietmar Löffler (ORF), Reini Huber (ORF), Hanns Schell, Marco Polo (ORF), Robert Schauer, Helmut Hagner; (Sentado) Wolfgang Nairz, Raimund Margreiter. Dietmar Löffler, Reini Huber e Marco Polo está aqui para filmar um documentário que contará com os montanhistas lendários. Foto: Rajan Pokhrel / THT
     

18.04.2018 - 08:52 Brasil | 17:37 Nepal

Rota 2018 da Cascata de Gelo

  Elias Luiz  

Muitos montanhistas estão fazendo uma caminhada até a metade da Cascata de Gelo, para melhorar a sua aclimatação e também para ganharem experiências na travessia das pontes feitas de escadas e para terem familiaridade com o trajeto. Os guias relataram que a rota está boa, este ano está mais próxima do Nuptse. Um dos trechos mais perigosos na escalada do Everest é exatamente a Cascata de Gelo, e quanto mais rápido for a passagem por ela, menor o risco de ser atingido por uma avalanche. Por isso é importante estar bem treinado para atravessar as pontes feitas com a junção de várias escadas.

Flashes

• Atualizei a rota na Cascata de Gelo no mapa, com base no GPS de um dos montanhistas.

• Roman Romancini chegou a Lobuche (4.940m).

• A rota até o Campo 2 (6.400m) já está estabelecida.

• As cordas e equipamentos para que a rota seja fixada entre a parede do Lhotse e o Cume, estão sendo transportadas de helicóptero para o Campo 2.

Depoimentos

Bom dia Elias, hoje fizemos um reconhecimento na cascata de gelo, parece bem até onde fomos [5.500m], ficamos 4 horas entre treino de subidas e descidas. Não me pareceu difícil. O que está realmente me preocupando é o degelo, achei bastante, e de noite algumas avalanches fortes. Tenho notado também o aumento de rachaduras em blocos enormes tanto no Nuptse [na frente do campo base] e no Pumori [atrás do campo base].

Gioberto Thoen, direto do campo base do Everest

Fala, Elias! Chegamos em Lobuche (4.940m)! O trekking de hoje foi o mais surreal. Durante quase todo o tempo tivemos a imponência da montanha Tabouche Peak à nossa esquerda. Um cenário inspirador que da força para puxar fundo cada passada. Incrível como da pra sentir forte a escassez de ar de 4.000m para 5.000, onde estamos agora na nossa última parada antes de alcançar o basecamp do Everest.

Rafael Duarte, direto de Lobuche

Fotos do dia

Onze Sherpas da IMG já estão no Campo 2 (6.400m). Ao fundo a Parede do Lhotse, com a lua acima do cume do Lhotse. Há mais neve neste ano.
GILBERTO THOEN na Cascata de Gelo.   Roman Romancini durante a trilha para Lobuche. Foto: Rafael Duarte
     

17.04.2018 - 13:50 Brasil | 22:35 Nepal

Cascata de gelo

  Elias Luiz  

Carlos Santalena e equipe caminharam hoje até o Football Field (5.600m), que fica no meio da Cascata de Gelo. Foram seis horas de atividade, sairam às 4h da manhã do campo base e rotornaram as 10h.

• Roman Romancini e Rafael Duarte subiram hoje o Nagarjun Peak (5.050m) como processo de aclimatação.

• Joel Kriger embarcou hoje para Katmandu.

CARLOS SANTALENA e Ayesha Zangaro na Cascata de Gelo. Foto: Renato Zangaro
 

16.04.2018 - 12:00 Brasil | 20:45 Nepal

Cerimônia Puja

  Elias Luiz  

Gilberto Thoen, Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Henrique Franke participaram da Cerimônia Puja com suas respectivas agências no campo base do Everest. Uma escalada no Nepal começa sempre com o Puja, a cerimônia de oferenda aos deuses das montanhas. Ninguém sobe a montanha antes de uma cerimônia Puja, principalmente os sherpas. No fim, todos recebem um punhado de tsampa, um tipo de farinha, que jogam uns nos outros... e ficam com os cabelos e rostos brancos, o que simboliza a chegada da idade... e desejam vida longa uns aos outros. Todos ficam emocionados e também felizes, pois a partir de agora podem começar a subida da montanha.

“Depois de um trekking exaustivo ontem, o dia de hoje foi bem mais tranquilo. De manhã visitamos um monastério onde tivemos o privilégio de participar de uma cerimônia de puja local e recebemos uma benção de um lama que foi completamente surpresa para os nossos planos, e com certeza foi um dos momentos mais especiais da expedição até agora. Caminhamos de Pangboche a Dingboche (4.350m), onde passaremos as duas próximas noites. Foi um trekking suave e lindo, começando sob o sol, depois com o tempo frio e nublado durante quase todo o trajeto enquanto margeávamos o rio Dhudikhosi. Ao chegarmos no vilarejo fomos recebidos com uma bela neve. Ao fim de tarde o tempo abriu e vimos o laranja do pôr do sol entardecer sobre o cume do Ama Dablan. Dingboche é um dos lugares mais lindos que já estive. Amanhã vamos aclimatar em um pico próximo que, se tudo der certo, será o ponto mais alto que já alcancei até o momento.”

Rafael Duarte, direto de Dingboche

CARLOS SANTALENA e equipe na cerimônia Puja.   GILBERTO THOEN durante a cerimônia Puja.
RAFAEL DUARTE recebendo benção do lama.   Bandeiras de orações com o Nuptse, Everest e Lhotse ao fundo.
ROMAN ROMANCINI durante a caminha para Dingboche. Foto: Rafael Duarte   Rocha com a inscrição do mantra budista Om mani padme hum. Ama Dablam ao fundo.
     

15.04.2018 - 04:45 Brasil | 13:30 Nepal

Campo Base e Podcast

  Elias Luiz  

André Freitas, junto com a sua equipe Hybrid da IMG fizeram uma aclimatação subindo até o High Camp do Lobuche (5.700m), e depois chegaram ao cume no Lobuche East (6.119m). André Freitas está de volta ao campo base.

• Gilberto Thoen está descansando no campo base e teve um encontro com o famoso Russell Brice, lenda do montanhismo como diretor de expedições.

• Carlos Santalena e equipe chegaram ao campo base do Everest depois de uma caminhada de 2h30 vindo de Gorak Shep. Todos estão muto bem aclimatados!

• Roman Romancini subiu para Pangboche.

GILBERTO THOEN com a bandeira do Extremos que levará para o cume do Everest.   Livro TOUR DU MONT BLANC, Em busca de Emelie, na barraca de Gilberto Thoen.
Renato, Lyss, Henrique, Carlos Santalena e Ayesha Zangaro no campo base do Everest.   As barracas do campo base são montadas em cima do Glaciar do Khumbu.
Equipe da IMG durante a escalada do Lobuche East (6.119m).   GILBERTO THOEN com Russel Brice, diretor de expedições da Himex.
Equipe da Grade 6 no campo base.   AYESHA ZANGARO durante treinamneto com crampons na campo base.
     

13.04.2018 - 09:30 Brasil | 18:15 Nepal

Voo de helicóptero, Cascata de Gelo e Kala Pattar

  Elias Luiz  

Roman Romancini e Rafael Duarte voaram hoje de Katmandu para Lukla, em um pequeno avião. Como Roman teve o atraso de alguns dias devido ao seu passaporte que foi negado, pois venceria em 5 meses, para adiantar e chegar a tempo para a cerimônia Puja de sua equipe, que acontecerá no dia 20 de abril no Campo Base, Roman e Rafael voaram de helicóptero de Lukla para Namche Bazaar, ganhando assim um dia de caminhada e agora devem chegar ao Campo Base no dia 19 de abril.

“Chegamos a Namche Bazaar! Depois de um voo incrível e meio tenso ao aeroporto mais perigoso do mundo, em Lukla, voamos para cá [Namche Bazaar] de helicóptero onde ficaremos dois dias caminhando, descansando e hidratando para cumprir o ciclo de aclimatação.”

Rafael Duarte, direto de Namche Bazaar

• Carlos Santalena e equipe chegaram hoje a Gorak ShepSubiram para o Kala Pattar para aproveitar o por do sol de frente para o Everest e devem dormir está noite em Gorak Shepa, amanhã seguem para o Campo Base.

“Oi Elias, essa é a visão da cascata de gelo agora, as cordas começam mais pelo lado do Nuptse, no meio elas cruzam pelo centro e sobem mais pela esquerda. A cascata está nas mesmas condições do ano passado ou até melhor, ou seja mais rápida de atravessar. Mas vi avalanches pequenas no Nuptse e durante a noite muitas avalanches na área, não sei precisar os locais corretos, somente o estrondo já assustam, daí não se dorme mais. Nossa posição é muito perto do começo da Cascata, tipo 20 a 25 minutos até as cordas fixas.” (obs: a foto está mais abaixo na galeria de imagens do dia)

Gilberto Thoen, direto do Campo Base do Everest

ROMAN ROMANCINI conferindo a bagagem no aeroporto de Lukla. Foto: Rafael Duarte   No aeroporto de Syangboche (3.780m), 300 metros acima de Namche Bazaar.
Namche Bazaar. Foto: Rafael Duarte   Nas vielas de Namche Bazaar o mercado de venda e troca acontece. Foto: Rafael Duarte
Vista da Cascata de Gelo. Foto: Gilberto Thoen   Gilberto e Tashi Sherpa seu companheiro de escalada no Everest, ele tem 4 cumes do Everest.
 

12.04.2018 - 07:15 Brasil | 16:00 Nepal

Treinamento no Campo Base

  Elias Luiz  

André Freitas realizou ontem, treinamentos de técnicas de escalada em gelo próximo da temida Khumbu Ice Fall (Cascata de Gelo). Hoje ele desceu para Lobuche onde nesta próxima madrugada irá escalar provavelmente o Lobuche East, para melhorar o seu processo de aclimatação. Dez anos atrás os alpinistas faziam 3 ciclos de aclimatação passando pela Cascata de Gelo e mais o Ciclo de Cume, isso totalizava 8 passagens (ida e volta) pela perigosa e imprevisível Cascata de Gelo. O 1º Ciclo de Aclimatação era sempre próximo dos 6.000m, por isso, para diminuir o risco, atualmente eles estão escalando o Lobuche East (6.119m) ou o Island Peak (6.189m) como processo de aclimatação. Hoje em dia a maioria dos alpinistas faz apenas 2 ciclos de aclimatação passando pela Cascata de Gelo e depois o Ciclo de Cume. Quando as equipes começarem a passar na Cascata de Gelo, publicarei as fotos aqui e vocês terão a noção de quanto perigoso é. Seria fácil eu pegar fotos dos anos anteriores e mostrar aqui, mas na Cobertura Online, sempre prezo para publicar as fotos da atual temporada, acredito que assim fica mais realística e vamos aprendendo com a caminhar das expedições.

• Gilberto Thoen chegou hoje ao campo base do Everest.

• Carlos Santalena e equipe chegaram a Lobuche e informaram que todos estão muito bem. Além de Henrique Franke, Ayesha Zangaro e Renato Zangaro, quem os acompanha e ficará durante toda a expedição no Campo Base é a Lyss Zangaro, mãe da Ayesha.

• Roman Romancini chegou hoje a Katmandu, depois de todo o problema que teve com o seu passaporte que venceria em cinco meses.

Equipe 2 da IMG treinando técnicas com os crampons nos arredores do Campo Base. ANDRÉ FREITAS está com a bota vermelha da Millet.
ANDRÉ FREITAS, à esquerda, durante treinamento em escalada em gelo.   RAFAEL DUARTE e Roman Romancini em Katmandu.
Caminho entre Pheriche e Lobuche. Foto: CARLOS SANTALENA   AYESHA ZANGARO em Lobuche.
     

11.04.2018 - 07:15 Brasil | 16:00 Nepal

Voando

Finalmente Roman Romancini embarcou na noite desta terça-feira com destino a Katmandu, onde deve chegar hoje.

• CARLOS SANTALENA e equipe subiram o Nagarjun Peak (5.100m), para aclimatação, e voltam para dormir essa noite em Pheriche (4.371m).

• GILBERTO THOEN subiu o Kala Pattar (5.550m) para aclimatação.

     
RENATO, Henrique, Ayesha e Carlos Santalena no cume do Nagarjun Peak (5.100m).   GILBERTO THOEN no cume do Kala Pattar, com o Everest ao fundo (no topo à direita).
RENATO, Ayesha e Henrique subindo o Nagarjun Peak (5.100m) Foto: Carlos Santalena   AYESHA ZANGARO com o Ama Dablam ao fundo.
RAFAEL DUARTE em Bhaktapur, nos arredores de Katmandu.   Ainda é possível encontrar vestígios do terremoto de 2015. Foto: Rafael Duarte
     

10.04.2018 - 08:15 Brasil | 17:00 Nepal

Campo Base, passaporte e Peter Hillary

  Elias Luiz  

André Freitas chegou ontem ao campo base do Everest, por enquanto está bem tranquilo por lá, a sua equipe foi uma das primeiras a chegar. Quem chegou também foi o Pemba Sherpa.

• GILBERTO THOEN, o homem dos encontros, desta vez se superou. Encontrou nada mais e nada menos que Peter Hillary, filho do alpinista neozelandês Edmund Hillary, que junto com Tenzing Norgay conquistou o Everest em 29 de maio de 1953.

• CARLOS SANTALENA e equipe chegaram a Pheriche (4.000m).

• ROMAN ROMANCINI teve problema com o seu passaporte na hora de embarcar, na última sexta-feira, dia 6 de abril. Restavam apenas cinco meses para o seu passaporte vencer e o Nepal exigia no mínimo seis meses. Roman já conseguiu tirar o passaporte de emergência, mas o visto do Nepal que normalmente é retirado e pago no aeroporto de Lukla, não é possível com o passaporte de emergência. Por isso, ontem, ele foi viajou para Brasília e hoje irá ao consulado do Nepal tirar o seu visto. Roman deve embarcar nesta noite para Katmandu.

     
ANDRÉ FREITAS enviou a 1ª foto do campo base do Everest.   GILBERTO THOEN com Peter Hillary, filho de Edmund Hillary.
     

09.04.2018 - 13:05 Brasil | 21:50 Nepal

Brasileiros se aclimatando

  Elias Luiz  

Carlos Santalena e equipe estão em Pangboche (4.000m). Gilberto Thoen fez aclimatação hoje próximo a Dingboche. André Freitas fará aclimatação no Lobuche East entre os dias 12 e 13. Roman Romancini teve problema no embarque em São Paulo e embarcará para Katmandu nos próximos dias. Rafael Duarte, colunista do Extremos, e que fará as filmagens de Roman Romancini até o campo base, já está em Katmandu.

“Faça da sua vida um legado, que será de orgulho para você e sua família, respeite os princípios do bem, seja humilde e honesto e assim você terá a felicidade.”

Gilberto Thoen, direto de Dingboche

     
CARLOS SANTALENA e quipe com o Ama Dablam ao fundo (à direita).   GILBERTO THOEN com outro ângulo do Ama Dablam.
     

08.04.2018 - 09:40 Brasil | 19:25 Nepal

Trekking ao campo base do Everest

Para quem sonha em fazer o trekking ao campo base do Everest, os montanhistas brasileiros que irão escalar o Everest, estão fazendo exatamente isso, neste momento. Para chegar ao campo base, a melhor maneira é caminhando, pois assim, o corpo vai se aclimatando com a altitude gradualmente. O caminho e a quantidade de dias que eles demoram para chegar ao campo base é o mesmo tempo gasto por trekkers. Isso é feito assim para que eles se aclimatem adequadamente. Alguns montanhistas voam de Katmandu direto para o aeroporto acima de Namche Bazaar, que está a 3.880m. Alguns poucos que já se aclimataram em alguma região do Nepal, voam direto de Katmandu para o campo base.

“Chegamos em Dingboche! Saímos de Deboche às 8h40 paramos em Pangboche para almoço e cerimônia de benção com o Lama e filmagens, depois seguimos para Dingboche e chegamos às 14h40. Amanhã descanso [aclimatação] e daí vamos à Lobuche. Elias, quero ressaltar que o caminho está muito limpo, estou impressionado com a estrutura de novas tea house, inclusive uma ponte pênsil nova nesse trajeto.”

Gilberto Thoen, direto de Dingboche

Pergunta do Anderson Ribeiro:
“Elias, é possível que todos 8 brasileiros cheguem ao cume do Everest no mesmo dia? Assim teríamos um recorde de brasileiros no cume!”

Podemos ter quebra de recorde sim, mas não com os 8 no mesmo dia. Os brasileiros estão divididos em 4 agências diferentes. Cada agência tem um cronograma com os ciclos de aclimatações diferentes. Até mesmo os brasileiros que estão na mesma equipe, pode ser que não ataquem o cume no mesmo dia, pois cada um sente o processo de aclimatação de forma diferente, pode ser que alguns precisem de mais tempo de descanso ou recuperação de uma gripe ou algo assim. Outro fator importante que acontece quando as cordas são instaladas até o cume e que os montanhistas são liberados para o ataque ao cume, é que existem janelas de bom tempo para o dia de cume. De acordo com a aclimatação de cada equipe ou de cada montanhista, eles escolhem a janela (a data) que é a mais adequada para eles. Muitas vezes há uma data em que mais de 100 montanhistas farão o ataque ao cume, e é normal que algumas equipes evitem essa data, para fazer o seu ataque ao cume em um dia mais tranquilo.

O recorde de brasileiros no cume do Everest aconteceu no dia 2 de junho de 2006. Waldemar Niclevicz e Irivan Burda chegaram ao cume do Everest pela face sul, e meia hora depois, Vitor Negrete chegou ao cume subindo pela face norte. Os 3 montanhistas brasileiros se encontraram no cume.

Gostou de saber mais sobre isso, tem alguma pergunta ou alguma dúvida que queira saber? Deixe sua pergunta no mural abaixo que terei o imenso prazer em responder.

     
GILBERTO THOEN com o nosso colunista Pemba Sherpa.   GILBERTO THOEN recebendo uma benção budista para escalar o Everest.
     

07.04.2018 - 13:40 Brasil | 22:25 Nepal

Encontros

André Freitas deve fazer aclimatação entre hoje ou amanhã subindo o Lobuche East. Gilberto Thoen está em Tengboche e o grupo liderado por Carlos Santalena está em Namche Bazaar, onde subiram até o hotel Everest View (3.880m) para aclimatação.

O Extremos tem a hontra de ter quatro colunistas tentando o cume do Everest este ano, são eles: Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Roman Romancini e Pemba Sherpa.

     
ENCONTRO de duas expedições brasileiras, Gilberto Thoen com Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Henrique Franke.   ANDRÉ FREITAS, de verde à esquerda, com a equipe de montanhistas e sherpas da IMG. O grupo fará aclimatação no campo alto do Lobuche.
AYESHA ZANGATO e família em encontro com Manoel Morgado.   AYESHA ZANGARO durante aclimatação em syangboche.
     

06.04.2018 - 08:15 Brasil | 17:00 Nepal

Cinco brasileiros em Namche Bazaar

Em função da baixa visibilidade, os voos de Katmandu pra Lukla não decolaram ontem. Mas, para não perder o primeiro dia de caminhada, o grupo liderado por Carlos Santalena fez a viagem de helicóptero. Hoje chegaram a Namche Bazaar, a 3.440m de altitude, considerada a capital Sherpa do Vale Khumbu. Caso você tenha esquecido de comprar algum equipamento, essa é a última oportunidade antes de chegar ao Campo Base do Everest.

Em Namche Bazaar é feito um ciclo de aclimatação, onde praticamente todos os montanhistas dormem duas noites. No segundo dia eles sobem até o hotel Everest View (3.880m), que tem uma das vistas mais bonitas do Vale Khumbu, onde é possível ver o Everest, Nuptse, Lothse, Ama Dablam e muitas outras montanhas.

 
     
AYESHA ZANGARO e equipe durante voo de helicóptero de Katmandu para Lukla. GILBERTO THOEN durante caminha até Namche Bazaar.
"Que nossos passos continuem abençoados pelos olhos de buddha." CARLOS SANTALENA
O mantra Om Mani Padme Hum esculpido nas rochas.
  PEMBA SHERPA, à esquerda, está guiando um grupo de trekkers ao campo base do Everest e de montanhistas rumo ao topo do Everest.
GILBERTO THOEN antes da travessia de uma das mais fotografadas pontes.   AYESHA ZANGARO no aeroporto Tenzing-Hillary, em Lukla.
     

04.04.2018 - 09:25 Brasil | 18:10 Nepal

Mais um na trilha

Gilberto Thoen, 55 anos, chegou hoje a Lukla, destribuiu alguns brinquedos e materiais escolares para crianças nepalesas e em seguida partiu com o seu grupo para Phaking. O Everest além de propiciar a sua maior conquista, também fechará o projeto dos 7 Cumes.

• AYESHA ZANGARO, 23 anos, apesar de muito nova já tem boa experiência com o montnahismo. Aos 16 anos escalou o Kilimanjaro, aos 17 anos o Aconcágua, com 18 anos escalou o Elbrus, com 19 anos escalou o Carstensz e aos 20 anos escalou o Denali (McKinley). Falta apenas o Everest e o Vinson para ela completar os 7 Cumes. Chegando ao cume do Everest ela se tornará a brasileira mais jovem a chegar ao topo do mundo. Atualmente o recorde pertence justamento ao seu guia, Carlos Santalena, que chegou ao cume do Everest quando tinha apenas 24 anos.

• Os Doctors Falls, os sherpas responsáveis por abrir e manter a rota da Cascata de Gelo transitável, completaram hoje a instalação escadas e cordas até o Campo 1 (5.900m).

 
AYESHA ZANGARO em Boudhanath Stupa - “Deixando as energias desse lugar me transportarem, que venham os desafios e que eles tragam cada vez mais os sonhos pra perto. Namastê!”
Inforgráfico dos 7 Cumes do Gilberto Thoen Inforgráfico dos 7 Cumes da Ayesha Zangaro Inforgráfico dos 7 Cumes do Roman Romancini
Gilberto Thoen no aeroporto Tenzing-Hillary, em Lukla. Criança nepalesa em Lukla. A permissão de escalar o Everest do Gilberto.
 

03.04.2018 - 08:35 Brasil | 17:20 Nepal

Recorde dos recordes

O nepalês Kami Rita, de 48 anos, é sherpa (guia de montanha nos Himalaias) desde 1994, primeiro ano em que conduziu em segurança um grupo de alpinistas até ao pico mais alto do mundo, ele tinha 24 anos na época. Desde então, todos os anos ele parte a caminho do topo do Everest, guiando mais uma expedição. Ontem, lá foi ele de novo, em direção ao campo base, no vale de Khumbu, com o grupo de montanhistas ocidentais e japoneses . Mas, desta vez, se tudo correr bem, como espera, Kami Rita baterá um recorde e tornar-se-á a primeira pessoa a chegar pela 22ª vez ao pico do Everest. Na verdade, o experiente sherpa já é neste momento um recordista, juntamente com outros dois compatriotas e companheiros de profissão. Kami Rita, Phurba Tashi e Apa, todos eles sherpas, são os únicos três homens do mundo que já subiram 21 vezes até ao pico mais alto dos Himalaias. Kami, no entanto, tem agora a oportunidade de se isolar, contabilizando mais uma subida do que eles, uma vez que Phurba Tashi e Apa decidiram não prosseguir a sua atividade, como já anunciaram. Nenhum dos dois voltará a subir à montanha.

• ANDRÉ FREITAS está em Pangboche. É a primeira vez que incluo o vilarejo de Pangboche no mapa da cobertura online. Se você notar, coloquei Pangboche com uma caminhada de 6h, mas isso é em relação a saída de Tengboche. Algumas agências saem da Tengboche para Dingboche, outras de Tengboche para Pangboche, sem passar por Dingboche. Em 2010, quando fiz o trekking ao campo base do Everest com o Carlos Santalena, nós fomos para Dingboche, que está a 4.530m e lá fizemos o nosso segundo ciclo de aclimatação, subimos o Nagarjun Peak (5.050m) e descemos para dormir em Dingboche.

• Obs: Para você que é novo por aqui na Cobertura Online, fique ligado que durante o dia posso incluir mais notícias. Sempre informarei o horário de atualização das novas notícias. Se você tem alguma dúvida, fique a vontade para perguntar no mural de recados.

 
 

02.04.2018 - 08:45 Brasil | 17:30 Nepal

Na trilha

André Freitas é o primeiro brasileiro na trilha do Everest em 2018. A agência IMG sempre usa um cronograma que antecipa as outras agências para dar mais tranquilidade ao seu grupo.

“Fala Elias, acabamos de chegar em Tengboche, saímos de Namche às 9h e chegamos aqui às 15h. Subida super íngreme e forte. Dormiremos aqui hoje e amanhã vamos para Pangboche. Parece que será um dia bem tranquilo. Estou bem confiante e tranquilo. Já deu pra perceber que estou melhor treinado que 2014 . Dia 9 chegaremos no Base Camp. Acredito que deve ter ainda uns 40 km até lá.”

André Freitas, direto de Tengboche

“Oi Elias... informações de Katmandu, hoje 60 voos confirmados para Lukla. Meu voo é quarta dia 4 às 6h da manhã. Muita bagagem. Filmagens em Katmandu muito show, a cidade tá demais de linda.”

Gilberto Thoen, direto de Katmandu

• Carlos Santalena, Ayesha Zangaro, Renato Zangaro e Henrique Franke chegaram hoje a Katmandu.

• JOEL KRIGER está com um cronograma diferente este ano, ele fará a sua aclimatação em outras montanhas e só chegará ao campo base no final de abril.

 

 
     
AYESHA ZANGARO no aeroporto de Guarulhos. GILBERTO THOEN em sua chegada a Katmandu.
AYESHA ZANGARO em Katmandu.   ANDRÉ FREITAS na trilha entre Namche Bazaar a Tengboche.
     

31.03.2018 - 12:00 Brasil

Elias Luiz, editor-chefe do Extremos lança o seu primeiro livro

Para você que sonha em colocar a mochila nas costas e fazer uma viagem de aventura, este livro será uma grande inspiração. Neste livro narro a minha aventura pelos Alpes, entre montanhas e vales percorri três países: França, Itália e Suíça, na sua longa jornada de 170 km no Tour du Mont Blanc. Além de uma história inspiradora, você tem em mãos um excelente guia de viagem, com mapas detalhados de todos os dias da trilha e as dicas necessárias para você também realizar este trekking dos sonhos!

27.03.2018 - 10:51 Brasil

Montanhistas chegando

Katmandu está começando a ganhar ainda mais vida com a chegada dos montanhistas que irão escalar os picos mais altos do mundo e de muitos trekkers que irão percorrer principalmente a trilha ao campo base do Everest. A cidade está ficando agitada, o trânsito ainda mais caótico, as incessantes buzinas e as vacas circulando tranquilamente no meio das ruas farão a alegria e o desespero de muitos turistas.

O bairro da Thamel, famoso pelas inúmeras casas de chá e principalmente pelas dezenas de lojas com equipamentos falsificados será o local onde aventureiros anônimos e famosos se encontrarão.

Todos em busca da realização de seus sonhos, de conhecer uma nova cultura, de percorrer umas das trilhas mais bonitas do mundo e de chegar ao teto do mundo.

O Everest deve receber pelo lado nepalês - Face Sul - um pouco mais de 400 montanhistas, somando estrangeiros e sherpas. Do lado tibetano - Face Norte - teremos mais de 200 montanhistas. Ao todo teremos aproximadamente 700 pessoas escalando as encostas do Everest, um pouco mais de 50 pessoas não chegarão ao cume do Everest e pelo menos 6 pessoas devem perder a vida tentando. Por mais que desejamos que nada aconteça, essa é uma estatística real e que assombra mais as pessoas que estão lendo isso no conforto de suas casas do que propriamente quem estará dormindo a 8.000 metros, na espera do ataque ao cume, dentro de alguns dias. É por isso e muito mais que o Everest será o palco das maiores aventuras nos próximos 50 dias.

Boas escaladas a todos e aguardo a participação do público em nosso mural.

André Freitas está em Katmandu aguardando a chegada dos últimos membros da equipe da IMG. Na quinta-feira ele voará para Lukla.
 

14.03.2018 - 09:35 Brasil

Agora são 8 brasileiros

André Freitas confirmou que irá voltar para escalar o Everest em 2018, aumentando assim para oito os brasileiros no Everest em 2018. Em 2014 ele já tinha escalado o Lobuche East (6119m) e estava no acampamento base do Everest aguardando para fazer o primeiro ciclo de aclimatação, quando no dia 18 de março de 2014 aconteceu a avalanche na cascata de gelo que matou 13 Sherpas e a temporada foi cancelada. André poderá se tornar o primeiro catarinense a escalar o Everest. André está na agência IMG e deve ser o primeiro brasileiro a chegar em Katmandu. De acordo com o cronograma da IMG, eles tentarão o cume no dia 13 de maio.

• Segundo os dados do Himalayan Database, Ayesha Zangaro poderá se tornar a latino americana mais jovem a escalar o Everest (entre homens e mulheres) e a 5ª mais jovem das Américas (mulheres).

• Oito Icefall Doctors (doutores da Cascata de Gelo) partiram hoje de manhã de Namche Bazaar acompanhados de dois cozinheiros em direção ao campo base do Everest. Eles irão fixar cordas até o Campo 2, procurando sempre a rota mais segura. A equipe é liderada por Ang Kami Sherpa de 66 anos, pai de cinco filhos e tem quase 20 anos de experiência. Os outros membros da equipe são: Ang Sarki Sherpa, Ngim Dorjee Sherpa, Mingma Chhiri Sherpa, Yangda Sherpa, Mingma Temba Sherpa, Nima Wangchu Sherpa e Dawa Jangbu e os cozinheiros Ngawang Thangten Sherpa e Mingma Dorjee Sherpa.

 

12.03.2018 - 09:45 Brasil - atualizado

Avião cai no aeroporto de Katmandu

Um avião com 71 pessoas a bordo caiu enquanto aterrissava no Aeroporto Internacional de Tribhuwan, em Katmandu, capital do Nepal, na manhã desta segunda-feira (12), deixando pelo menos 40 mortos. A aeronave da companhia aérea bengalesa US Bangla Airlines, vôo BS211, transportava 67 passageiros e quatro tripulantes.

O avião tinha autorização para pousar na pista 02, no extremo sul do aeroporto, às 14h18 no horário local. Mas o avião se aproximava da pista pelo lado norte. A torre informou que ele deveria pousar na pista sul. O piloto então mudou a rota para nordeste. Pessoas dizem que o avião derrapou na pista no momento do pouso, quando tenta desviar de uma cabine.

Foram resgatados 23 passageiros com vida e estão sendo atendidos em vários hospitais da capital. Há confirmação de 49 mortos, mas outros corpos ainda não foram recuperados do avião.

Ainda não temos informações se havia alpinistas com destino a escalada do Everest neste voo. O jornal Himalayan Times informou que 33 passageiros eram cidadões nepaleses.

Nacionalidades dos passageiros

33 do Nepal, 31 de Bangladesh, 1 da China e 1 de Maldiva.

US Bangla Airlines, vôo BS211, transportava 67 passageiros e quatro tripulantes.
 

07.03.2018 - 17:20 Brasil

Everest 2018

Pelo 13º ano consecutivo o Extremos fará a cobertura online das expedições rumo ao topo do Everest. Neste ano teremos um número recorde de brasileiros no campo base, serão 7 ao total.

• Ayesha Zangaro poderá se tornar a brasileira mais jovem a escalar o Everest. O recorde atualmente pertence ao seu guia, Carlos Santalena, que chegou ao cume com apenas 24 anos em 2011.

• Joel Kriger está retornando pela 3ª vez ao Everest e poderá se tornar o brasileiro mais velho a chegar ao cume, aos 64 anos. Atualmente a marca pertence ao Manoel Morgado, que chegou ao cume do Everest com 53 anos em 2010.

• Renato Zangaro é pai de Ayesha Zangaro. Será que teremos pai e filha esse ano no cume do Everest? Espero que sim. Sucesso aos dois na escalada.

• Roman Romancini está de volta ao Everest. Em 2014 ele estava no acampamento base quando aconteceu a avalanche na Cascata de Gelo e a temporada foi encerrada antecipadamente.

• Gilberto Thoen está em busca de finalizar o projeto dos Sete Cumes, falta apenas o Everest.

• Henrique Franke fará a sua primeira tentativa de escalar o Everest.

• Carlos Santalena já esteve duas vezes no cume (2011 e 2017) e pode chegar ao seu terceiro cume e assim igualar ao seu amigo Rodrigo Raineri (2008, 2011 e 2013).

Como se definem as temporadas no Everest

• Temporada de inverno: de 22 de dezembro à 21 de março.
• Temporada de primavera (a principal): de 22 de março até 21 de junho.

 

07.03.2018 - 15:25 Brasil

Os números finais de 2017

O Himalayan Database divulgou os números finais da temporada 2017 do Everest. O total de cumes foi o segundo maior de toda a história com 648 cumes, perdendo apenas para o ano de 2013, com 660 cumes.

OBS: Richard, do Himalayan Database, confidenciou ao Extremos que os números totais de cumes do Everest em 2017 deve sofrer algumas alterações para mais, nos próximos meses.

Cumes X Mortes - Infográfico: Elias Luiz | Extremos
 

comentários - comments