Massacre no acampamento base do Nanga Parbat (atualizado 3x)
da redação: Elias Luiz - fonte: Agencias internacionais, Explorersweb e Cleo Weidlich
23 de junho de 2013 - 11:36 - atualizado: 28.06.2013 às 00h28
 
 
 
 
  • Foto: AFP
    O alpinista chinês Zhang Jingchuan, que incrivelmente sobreviveu aos ataques terroristas, retornou à China na quarta-feira. Foto: AFP
  • Foto: AFP
    Força Aérea do Paquistão transportou caixões com montanhista mortos no Nanga Parbat. Chegada a Chaklala, base aérea em Rawalpindi. Foto: AFP
  • Foto: Divulgação
    Yang Chunfeng - Rao Jianfeng (chinês), Honglu Chen (americano de origem chinesa), Sona Sherpa (Nepal), Ernestas Marksaitis (Lituânia)," Foto: Divulgação
  • Foto: Divulgação
    O Nanga Parbat é a 9ª montanha mais alta do mundo com 8.125m, localizada no Paquistão." Foto: Divulgação
  • Foto: Divulgação
    Entre os 8.000m, Svergun Igor havia escalado o Everest, Annapurna, Manaslu, Lhotse, Shisha Pangma, Dhaulagiri e o Cho Oyu" Foto: Divulgação
1 5

O alpinista chinês Zhang Jingchuan, que incrivelmente sobreviveu aos ataques terroristas, retornou à China na quarta-feira. Foto: AFP

todas as imagens
 
Atualizado: 28.06.2013 - 00h28

Após o massacre no Nanga Parbat, todos os alpinistas foram evacuados do Acampamento Base da Face Diamir e agora eles estão voltando para seus países de origem. Os corpos dos alpinistas mortos também estão sendo levados de volta para seus respectivos países. De acordo com anúncio feito pelo governo do Paquistão, funcionários do governo acompanharão a entrega dos corpos.
 
Fuga milagrosa

O alpinista chinês Zhang Jingchuan, que incrivelmente sobreviveu aos ataques terroristas, retornou à China na quarta-feira. Ele contou os detalhes sobre o incidente:

"Estávamos dormindo e era por volta das 22h quando eles nos pegaram. Nossas mãos foram amarradas e nos fizeram ficar de joelhos. Após revistarem todos nós, o massacre começou. Um tiro foi destinado a minha cabeça, mas erraram. Então comecei a correr e cheguei ao vale onde me refugiei."


Foi, provavelmente, os quatro anos no serviço militar que o ajudaram a salvar sua vida. Zhang retornou ao BC (Campo Base) depois de uma hora e fez o pedido de ajuda. De acordo com o relatório da Expedition Polonesa, Zang entrou em contato com sua agência no Nepal (Seven Summit Treks), que por sua vez entrou em contato com o famoso alpinista Nazir Sabir, o proprietário da agência NazirSabir Expeditions. Sabir foi rápido em solicitar o apoio dos militares, cujos helicópteros chegaram BC em torno de 7h da manhã.

O único paquistanês assassinado no Campo Base na face Diamir foi Ali Hussain, um cozinheiro e porteador muçulmano xiita da cidade de Hushe. Seu corpo foi transferido para a sua aldeia na noite de domingo (23 de junho).

O Alpinista nepalês falecido, Sona Sherpa, deixou dois filhos e uma esposa jovem. Segundo a família de Sona, ele já havia escalado o Nanga Parbat em 2009, e foi solicitado pela equipe chinesa para participar desta expedição como guia de montanha. Ele também já tinha feito cume no Everest três vezes e uma vez no Makalu. Espera-se que o corpo de Sona seja levado ao Nepal na próxima segunda-feira (1 de Julho).

O Ministro de Estado paquistanês, Kamal Khan, estava programado para voar para a China, hoje, com os corpos de três vítimas chinesas, enquanto o funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Dr. Saeed, irá acompanhar os corpos dos alpinistas europeus.

Face Rupal

Enquanto isso, os romenos na face Rupal do Nanga Parbat alcançaram os 7200m alguns dias atrás, onde tiveram uma visão da face Diamir, local do massacre que tinha acontecido apenas alguns dias atrás. Depois de trabalharem por vários dias para terem acesso a rota Shell’s, conseguiram equipar a rota e montaram acampamentos para um ataque ao cume, após isso a equipe começou a descer para os campos mais baixos. Eles querem continuar a escalada e fazer um ataque ao cume quando uma janela de bom tempo surgir, mas uma decisão oficial sobre o assunto ainda é aguardada.

Os terroristas

O Inspector Geral da polícia de Gilgit-Baltistan, senhor Usman Zakaria, disse durante uma conferência de imprensa na quarta-feira (26 de junho), que dezesseis terroristas envolvidos no Massacre do Nanga Parbat foram identificados. De acordo com o chefe de polícia, Diamer Jirga, um grupo de anciãos locais tem sido fundamental na identificação dos supostos agressores e também estão ajudando na localização dos terroristas em geral. "Os culpados estão dentro da jurisdição territorial de Diamer e vamos prendê-los em breve", disse Usman. Mais de 30 suspeitos detidos já foram liberados após os interrogatórios.

Atualizado: 27.06.2013 - 12h35

O Chefe de Polícia de Gilgit/Baltistan (regional) informou que identificou o Sr. Majeed,residente de Gitidaa (Chilas), como planejador do attack no BC de Nanga.

Artigo original: 23.06.2013 - 11h36
Terroristas atacaram o acampamento base do Nanga Parbat, na face Diamir, em torno das 22h deste sábado, matando 11 pessoas. O Nanga Parbat é a 9ª montanha mais alta do mundo com 8.125m e está localizada ao norte do Paquistão.

O Talibã paquistanês assumiu a responsabilidade pelo ataque ao acampamento base do Nanga Parbat, dizendo que era para vingar a morte de seu vice-líder em um ataque de drones dos EUA no mês passado.

Nesta temporada mais de 50 alpinistas receberam o permit para escalar o Nanga Parbat e a maioria deles estavam escalando a montanha rumo ao C2 e por isso nada sofreram. As 10 vítimas estavam hospedadas em um pequeno hotel na região do acampamento base e foram surpreendidas pelos terroristas e assassinadas.

As mortes colocam em cheque o futuro do montanhismo e de expedições de trekking nesta região, que fornece o último vestígio do turismo internacional a este país que é assolado por guerrilheiros da Al Qaeda e Talibã.

Os alpinistas identificados:
Ucrânia: Igor Svergun, Kongaeva Dmitry e Bodavi Koshaeva
Eslováquia: Anton Dobes e Peter Sperka
Lituânia: Ernestas Marksaitis
China: Yang Chunfeng e Rao Jianfeng

Estados Unidos: Honglu Chen (de origem chinesa)
Nepal: Sona Sherpa
Paquistão: Ali Hussain era guia e cozinheiro da expedição



Nota do Extremos
O Extremos estava com viagem marcada em meados de junho para a região do Nanga Parbat e K2, mas devido aos conflitos locais que surgiram após as eleições de maio, a viagem foi remarcada para 2014. Nossas condolências ao familiares e amigos das vítimas.