Extremos
 
COLUNISTA JUS PRADO
 
Chamonix
 
Texto: Jus Prado
8 de julho de 2014 - 12:45
 
  • Foto: Jus Prado
    Vista do topo do Aguilli du Midi Foto: Jus Prado
  • Foto: Jus Prado
    Trilhas bem marcadas. Na foto, uma das opções para subir o Brévent." Foto: Jus Prado
  • Foto: Jus Prado
    Couchsurfing também é uma boa opção para quem quer conhecer pessoas locais e economizar na acomodação. Na foto, minha primeira experiência com um host bem fora do normal." Foto: Jus Prado
  • Foto: Jus Prado
    Cenas de Chamonix." Foto: Jus Prado
1 4

Vista do topo do Aguilli du Midi. Foto: Jus Prado

todas as imagens
 
Jus Prado

Ainda no departamento de Haute-Savoie, o destino de hoje é mais famoso. Com cerca de 9.346 habitantes, Chamonix tem história e é conhecida como a capital mundial do montanhismo.

Hospeda o conhecido maciço do Mont Blanc que ocupa apenas uma pequena parte dos Alpes, porém oferece uma gama de variedades em paredes de granito, grandes glaciares, pirâmides e cúpulas de gelo, um playground completo para os aventureiros de plantão.
Vamos a algumas dicas!

1. Acesso
O aeroporto mais próximo fica em Genebra, Suíça, a cerca de 1h15 de Chamonix. Os serviços de traslados em vans ou carros particulares são fáceis de encontrar e contatar e é aconselhável reservar com antecedência, principalmente na alta temporada de verão e inverno. O preço mínimo é de aproximadamente 25 euros por trecho.

2. Acomodações
O único hostel mais próximo do centro é o Le Vagabond que é também conhecido como o mais em conta de Chamonix já que tudo costuma ser mais caro.
No verão, há também a opção de acampar, e aí é importante considerar todo o vale: Argentière, Les Bossons e Les Houches para encontrar bons preços nos campings.
Em áreas mais afastadas do centro e que não invadam propriedades particulares, é possível o camping selvagem, inclusive pelo percurso do Tour du Mont Blanc, mas lembre-se de não acampar perto de nenhum refúgio.
Os Refúgios de alta montanha como o novo Refúgio du Goûter está com novas regras e não é mais permitido acampar nem fazer bivaque na área do Goûter, apenas no Refúgio Tête Rousse é permitido acampar no máximo 50 barracas. O sistema para reservas é feito somente online e desde cedo todas as datas já estão reservadas, então a dica é ficar de olho no site: http://refugedugouter.ffcam.fr/resapublic.html e tentar reservar uma data com mais de 1 mês de antecedência ou conferir o site cerca de 3 dias antes da data que você pretende utilizar o refúgio para ver se tem vagas por desistência.

3. Guias de montanha
Para atuar como guia nas montanhas da região do Mont Blanc é obrigatório ser credenciado pela UIAGM (União Internacional das Associações de Guias de Montanha), para o esqui é necessário também fazer parte da ESF (Escola de Esqui Francesa) e para essas e outras atividades de aventura é necessário o registro na Companhia de Guias de Chamonix, www.chamonix-guides.com a maior e mais antiga companhia de guias de esportes de aventura do mundo, portanto, seja qual for a atividade que você escolher realizar com o auxílio de um guia, pode confiar, pois são todos bem preparados.

4. Trilhas
No verão tem muitas opções de trilhas e travessias com diferentes níveis de dificuldade e duração. Quase todos os percursos, para não dizer todos, são bem marcados o que facilita a navegação para o aventureiro independente e para quem precisa de algum auxílio ou para os menos experientes, existem várias operadoras e agências de turismo que organizam a logística do roteiro, com ou sem guia, por um preço que vai depender dos serviços utilizados.
Pelo centro de Chamonix as trilhas de mais fácil acesso são: Brévént, Flégère e uma que vai até o primeiro teleférico do Aguille du Midi - o começo dela é logo depois do estacionamento atrás do teleférico. São trilhas íngremes em ziguezague que duram cerca de 3h em média.
Dicas para trilhas: www.randos-montblanc.com
Site oficial do vale de Chamonix: www.chamonix.com

5. Casa da montanha (Maison de la Montagne)
Situada no coração de Chamonix, em frente ao Office de Turismo, a Maison de la Montagne é onde todo montanhista bem-orientado deve passar. É lá onde estão: a Companhia dos Guias de Chamonix, a ESF (Escola de Esqui Francesa) e o Office de alta montanha (La Chamoniarde), ou seja, a fonte de informações sobre as condições da montanha para trilhas e escaladas, meteorologia, avalanches, cursos, refúgios, orientações e contatos com outros montanhistas em busca de parceiros para escalada, além de mapas e guias livres para consulta.

6. Via Ferrata – Passy
Passy está cerca de 25 minutos de Chamonix e uma das atividades que encontra-se por lá é a deslumbrante via ferrata que, nos dias de céu limpo, oferece uma super vista do Mont Blanc e do vale. A via chamada Curalla é gratuita e bem conservada, há um pequeno estacionamento de onde começa a trilha de 20 minutos bem marcada até a base da montanha, o nível de dificuldade é de intermediário para difícil, pois a via é bem exposta. Todo o percurso dura cerca de 1h30 e termina no topo, a 1420m de altitude, de onde pegamos uma trilha de 45 minutos de volta para o estacionamento. Vale a pena esticar a estadia e dar um pulo lá se o tempo estiver bom. www.passy-mont-blanc.com/fr/il4-montblanc_p24-topo-via-ferrata.aspx

7. Escaladas em rocha
Les Gaillands é o pico mais próximo para escaladas em rocha e também oferece uma vista incrível! Do lado da estrada a apenas 2 km do centro de Chamonix, está a rocha para a escalada esportiva com vias de fáceis a difíceis. O parque situado ao redor é um lugar bem gostoso para descontrair, escalar, fazer um piquenique, slackline e tem também um arvorismo com 260m de atividades. A escalada é gratuita - www.chamonix.com/climbing,34,en.html - se você possui os conhecimentos e equipamentos, já para o arvorismo - www.chamonix.com/accro-park-des-gaillands-cham-aventure - o valor é de 25 euros para adultos e de 8 a 17 euros para crianças. Se chover a opção é uma parede de escalada indoor em Les Houches, um espaço bem bacana: www.montblancescalade.com/

8. Aguille du Midi
Parada obrigatória para quem vai a Chamonix! É também ponto de partida para os esquiadores e snowboarders experientes que vão descer o Vallée Blanche (vale branco). A vista panorâmica dos Alpes é de ficar sem palavras e com o tempo bom é possível ver vários picos como o Matterhorn na Suíça! Lá em cima tem um pequeno museu e a vantagem de experimentar a altitude, pois o teleférico chega a 3842m de altitude e a última novidade é o Le pas dans le vide (no vácuo) que é um mirante de vidro, o mais alto do mundo, permitindo uma vivência ainda mais intensa dos Alpes! O teleférico custa em torno de 50 euros. www.chamonix.com/aiguille-du-midi,80,fr.html

9. Mer de Glace
É o maior glaciar da França. O jeito mais comum de chegar até a base do glaciar é de trem, o Train du Montenvers, mas é possível ir de carro e fazer as trilhas a pé. O mar de gelo, tradução para mer de glace, tem 7 km de comprimento e 200m de espessura e é um lugar histórico, no século XVIII marcou o começo do turismo de montanha o que começou a transformar a imagem das montanhas de um lugar maldito para a Meca do alpinismo e dos esportes de inverno. Mais info: www.chamonix.com/montagne/mer-de-glace.html

10. Esqui e esportes de inverno

Recentemente comecei no esqui e pude conhecer mais de 12 estações de esqui diferentes aqui pela região de Haute-Savoie. Percebi que Chamonix pode ser famosa, mas não é o melhor lugar para iniciantes, não que não dê para ter uma primeira vivência no esporte, é possível experimentar as poucas pistas verdes e azuis, porém essa vivência será limitada.
A dica para iniciantes e intermediários são algumas estações ao redor de Chamonix como: Saint-Gervais-les-Bains, Les Contamines e Les Houches.
Para quem já tem experiência aí é outra história e com certeza é um ótimo lugar para todos os estilos de esqui.
Porém não apenas de esqui vive o inverno, embora seja unanimidade, tem também outras atividades como: patinação no gelo, trenó puxado por cachorros, outras variações do esqui como o esqui de fundo, piscinas aquecidas a céu aberto com vista para os Alpes fazer boneco de neve, guerra de bola de neve e por aí vai! Sobre as pistas de esqui em Chamonix, mais info aqui: www.chamonix.com/ski-areas,22,en.html

11. MBC – Micro Brasserie de Chamonix
Depois de falar de como chegar, acomodações e atividades, está na hora de dar dicas sobre onde comer! Tem muitas boas opções, mas um lugar que vale a pena ir é a MBC que oferece deliciosas cervejas artesanais, boa comida – particularmente adoro os hambúrgueres vegetarianos - num ambiente descontraído, simpático, com música alternativa e preço bom. www.mbchx.com/

12. Jekyll and Hyde – bar e restaurante
Termino com mais essa dica de onde comer, o Jekyll é um típico pub irlandês ótimo para ir à noite, depois que estiver de banho tomado após um dia intenso de atividades pelas montanhas. Os aperitivos e a comida são muito bons – também adoro o lanche vegetariano de lá, rs – e geralmente vem em bastante quantidade, então é importante estar com fome quando for experimentar algum prato do menu. Outra particularidade é o desafio do martelo que consiste em tentar acertar o prego com o martelo num pedaço de tronco de madeira que fica ao lado do bar, detalhe, deve-se bater o martelo no prego com o braço estendido e só vale entrar na brincadeira quem já estiver bêbado ou bem bêbado. www.thejekyll.com/


Bom, tem muito a ser explorado nesta região, mas ficam aí algumas dicas de como aproveitar Chamonix e quem sabe nos encontramos por lá!

Beijos,
Jus
www.lotusviajante.com