Extremos
 
Caderno deixado há um século na Antártica é achado por cientistas
 
da Redação: Elias Luiz
23 de outubro de 2014 - 10:30
 
 
O caderno de George Murray Levick (em destaque) encontrado na Antártica com informações sobre uma das primeiras expedições do homem ao continente gelado (Foto: Fundo da Herança da Antártica da Nova Zelândia/AFP)
 

Um caderno com anotações científicas de uma das primeiras viagens do homem à Antártica, há um século, foi encontrado preso ao gelo por especialistas da Nova Zelândia. O material pertencia ao cientista britânico George Murray Levick, que integrou a equipe liderada por Robert Falcon Scott durante a Expedição Terra Nova, ocorrida entre 1910 e 1913, que chegou ao Polo Sul.

Scott ficou conhecido como um dos primeiros homens a alcançar a região inóspita do Polo Sul.

De acordo com o Fundo da Herança da Antártica da Nova Zelândia, o caderno tem anotações a lápis sobre fotografias tiradas em 1911 por Levick, enquanto ele estava no Cabo Adare, região da Antártica Oriental.

A escrita permanece legível, mas há partes que se deterioram pela ação do gelo e da água ao longo dos anos. As páginas do caderno foram levadas pelos cientistas e conservadas individualmente. Elas receberam uma nova encadernação e se integraram a outros 11 mil artefatos preservados pela instituição.

A expedição Terra Nova tinha o objetivo atingir o Polo Sul. O grupo conseguiu o feito em 17 de janeiro de 1912, mas não foi o primeiro, já que o time liderado pelo norueguês Roald Amundsen havia chegado ao local um mês antes.


Dica do editor
Para quem gosta das histórias, aventuras e explorações na Antártica, segue a dica de alguns livros:
• A Pior Viagem do Mundo - Apsley Cherry-Garrard
• O Último Lugar da Terra - Roland Huntford
• Endurance - Caroline Alexander
• Paratii, Entre Dois Polos - Amyr Klink
• Mar Sem Fim - Amyr Klink