Karina Oliani faz mergulho inédito com baleias orcas na Islândia
De Reykjavik: Karina Oliani
26 de março de 2014 - 15:11
 
comentários  
 
  • Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
    Karina se prepara para o mergulho com as baleias orcas, na Islândia. Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
  • Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
    Baleia Orca." Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
  • Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
    Karina está gravando o seu próximo programa para o canal OFF." Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
  • Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
    As baleias orcas. " Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
  • Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
    Além das baleias e da água a -1ºC, a paisagem também é deslumbrante." Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff
1 5

Karina se prepara para o mergulho com as baleias orcas, na Islândia. Fotos: Jeffrey Cunningham e Rick Baraff

todas as imagens
     

Filmando 4 documentários mais que especiais para o Canal Off, Karina nem sabia mas juntamente com Erlendur, um mergulhador islandês, se tornaram hoje as primeiras pessoas a mergulharem ao lado de centenas de Baleias Orcas na costa da Islândia e registrarem essas imagens espetaculares.

A viagem começou em Reykjavik, capital da Islândia, onde ela e dois cinegrafistas partiram para Grundartfjorthur, uma pequena vila litorânea no Oeste do país, onde as vezes, um grande grupo de Orcas selvagens entram para se alimentar dos cardumes de Herings.

A temperatura média da água é de 1º Celsius, Karina e Erlendur avistaram mais de 100 baleias e nadaram lado a lado, com suas roupas secas, máscara e snorkels e várias famílias de Orcas.

Esses mamíferos e superpredadores, topo da cadeia alimentar, também conhecidos como "Baleias Assassinas" podem chegar a 9 toneladas mas Karina afirma "Elas não tem nada de assassinas, são animais magníficos que, como nós, também são predadores e precisam se alimentar". Na dieta das Orcas consta: peixes, moluscos, aves, tartarugas, focas e até tubarões.

Como foi algo inédito no país, Karina e Erlendur contaram com todo o apoio da equipe de resgate islandesa que ficou ansiosa e apreensiva: "Vocês podem ser comidos vivos pelas Orcas. Nós não fazemos ideia de como elas irão reagir quando eles entrarem na água a menos de 10m de distância delas"

Erlendur, 55 anos, um mergulhador com muita experiência, comentou:

"Foi a experiência mais incrível da minha vida e precisou que uma mulher brasileira viesse até aqui para me levar com ela para água em meio a esse enorme grupo de Baleias Assassinas Selvagens."

Karina está nas nuvens por ter realizado mais um sonho e com as baleias mais agressivas do mundo e poder ter provado que de assassinas elas não tem nada, só a fama!